“Desmatamento da Amazônia não é tragédia. É crime”

É isso o que afirma o colunista Pedro Dallari esta semana, diante dos números crescentes de desmatamento na região

“O desmatamento da Amazônia, em junho deste ano, atingiu o maior volume mensal desde 2016.” É assim que o professor Pedro Dallari inicia sua coluna desta semana, fazendo um importante alerta. “É o 14º mês seguido de alta nos índices de desmatamento. Em junho, foram mais de mil quilômetros quadrados destruídos. É assustador”, afirma o colunista. “Para se ter ideia dos números, em 2019 vieram abaixo 10 mil quilômetros quadrados de floresta amazônica. E tudo leva a crer que este ano este recorde será batido. O levantamento é de um órgão do governo, o Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, e os dados de junho foram divulgados na semana passada. Eu me recuso a falar em tragédia, já que na cultura clássica ‘tragédia’ é decorrente da vontade dos deuses. Aqui, estamos diante de um crime”, garante Dallari.

“Trata-se de um crime perpetrado por um governo que age de forma absolutamente irresponsável com relação a um patrimônio de imenso significado para o povo brasileiro e para a população do planeta”, afirma o professor. “E o que o governo fez com relação a isso? Demitiu a coordenadora do Inpe responsável por estes levantamentos. A situação só não é mais grave graças à pressão internacional, seja por parte da sociedade ou por parte de investidores estrangeiros, que têm aportes significativos no Brasil. E isso vem preocupando o governo brasileiro.”

Ouça no player acima a íntegra da coluna Globalização e Cidadania.


Globalização e Cidadania
A coluna Globalização e Cidadania, com o professor Pedro Dallari, vai ao ar toda quarta-feiraa às 8h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.