Colunista repercute aprovação de dispositivo da MP 936

A professora Eunice Prudente refere-se ao dispositivo que trata da negociação entre patrões e empregados, sem a necessidade da intermediação sindical, que considera prejudicial aos trabalhadores

O STF julgou a constitucionalidade de dispositivo da MP 936, que institui um programa emergencial para a manutenção do emprego, da renda e da atividade econômica durante a pandemia de covid-19. Esse dispositivo trata da possibilidade de acordos individuais entre patrão e empregado poderem reduzir a jornada de trabalho, salários, ou até mesmo suspender temporariamente contratos laborais. Vale lembrar que a relação trabalhista é uma relação jurídica não igualitária, em que os trabalhadores precisam do emprego para seu desenvolvimento e sobrevivência. Oito dos 11 ministros entenderam que a participação dos sindicalistas traria insegurança jurídica e uma demora, não viável, neste momento.

Com essa aprovação, abriu-se a possibilidade de outras ações e providências nas relações trabalhistas sem ouvir os sindicatos, o que é uma conquista dos direitos dos trabalhadores a partir da atuação dos sindicalistas. No entanto, no julgamento pelo Plenário, prevaleceu entendimento contrário, o do voto divergente do ministro Alexandre de Moraes. Para ele, o empregado pode não aderir ao acordo individual, assumindo o risco de ser dispensado. A liminar de Ricardo Lewandowski, então, acabou sendo cassada.

A professora Eunice Prudente vê que essa decisão final “traz riscos para os trabalhadores”. E que os acordos entre patrões e empregados teriam, sim, de ser submetidos aos sindicalistas e aos sindicatos.

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da coluna.


Educação e Direitos
A coluna Educação e Direitos, com a professora Eunice Prudente, vai ao ar toda sexta-feira às 8h30, na Rádio  USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e  TV USP. 

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.