De que forma a genética interfere no comportamento do seu cão?

Cientistas americanos analisaram genomas de cães para descobrir se o comportamento do animal depende da genética ou do ambiente

 Publicado: 12/05/2022
Por

Uma pesquisa realizada por cientistas americanos investigou se a genética pode influenciar o temperamento de cães.

Foram entrevistados mais de 18 mil tutores de cachorros de diferentes linhagens. O objetivo era entender se o comportamento tinha relação com as raças. Além disso, os pesquisadores analisaram o genótipo de 2.155 animais para identificar possíveis regiões do genoma associadas a características de personalidade.

Mayana Zatz, diretora do Centro de Estudos sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) da USP, diz que, ao adotar um cão de raça, é normal criarmos expectativas sobre o comportamento dele. “Dizem que os Border Collies são muito inteligentes e afetuosos, os Golden Retrievers muito carinhosos, o Pastor Alemão mais obediente, ao contrário dos Beagles, que não são nada obedientes.”

Será que no futuro será possível estudar o genoma do seu cão? Os resultados são apresentados na coluna de hoje (12).

Um artigo com todos os detalhes da pesquisa foi publicado na revista Science em 29 de abril.


Decodificando o DNA
A coluna Decodificando o DNA, com a professora Mayana Zatz, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.