“Data centers são como ‘bunkers’ na cidade”

Guilherme Wisnik afirma ainda que, diferentemente do imaginário popular, servidores de nuvem precisam de construções imensas para manter dados seguros

 23/07/2020 - Publicado há 1 ano

Na coluna desta semana, Guilherme Wisnik traz à tona o tema dos data centers, conhecidos também como “fazendas de servidores” que concentram toda a informação digital no mundo: “Esses data centers são construções gigantescas, extensivas. Normalmente em áreas vazias existem datas centers urbanos, são como bunkers na cidade, mas os principais são no meio do nada e são conectados por grandes redes de cabos de fibra ótica, que às vezes são túneis que cortam montanhas, que passam por dentro dos oceanos e que compõem uma rede complexa de informação”.

O colunista aponta para os grandes investimentos econômicos que essas infraestruturas representam, mas que na verdade não são revertidos em impacto na vida local: “A gente pensa na nuvem como uma coisa diáfana, como alguma coisa imaterial, mas as nuvens têm um fundamento muito sólido e que significa lixo eletrônico, significa consumo excessivo de energia para resfriar as máquinas que aquecem geradores, baterias e tudo isso”. Entre os motivos apontados para que não tenha nenhum retorno local, o colunista cita a baixa geração de emprego e até mesmo a falta de impactos negativos, como a gentrificação, que é a valorização do preço do solo. 

Entretanto, Wisnik atenta para a questão do consumo excessivo do serviço de nuvem, que não poupa espaço físico: “Cada vez que a gente armazena mais e mais coisa na nuvem, desde a escala pessoal, dos arquivos de cada um, as fotos de viagem que cada um tira, até claro, as escalas muito maiores, as grandes empresas onde isso realmente faz diferença, a verdade é que todos esses dados estão sendo jogados ali e, para que eles sejam mantidos como algo acessível, é preciso que cada vez mais informação seja acumulada nas nuvens e nos data centers e para isso mais recursos sejam consumidos”.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Espaço em Obra


Espaço em Obra
A coluna Espaço em Obra, com o professor Guilherme Wisnik, vai ao ar toda quinta-feira às 9h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.