“COP 26 é importante para a recuperação das condições de vida no planeta” 

É o que afirma o colunista Pedro Dallari, que também explica o significado da sigla e sua importância no combate ao aquecimento global 

 Publicado: 27/10/2021
Por

 

No próximo final de semana, terá início em Glasgow, na Escócia, a COP 26. Mas, afinal, o que representa essa reunião e qual sua importância para a discussão sobre as mudanças climáticas no planeta? É sobre isso que o professor Pedro Dallari fala em sua coluna desta semana. “A COP 26 é a 26ª reunião anual da chamada ‘conferência das partes’, da convenção-quadro sobre mudança do clima. ‘COP”, significa justamente, em inglês, conferência das partes. E a ‘convenção-quadro’ foi um tratado internacional aprovado no Rio de Janeiro em 1992, na grande conferência sobre o meio ambiente que se realizou naquele ano no Brasil, a ECO 92. O tratado foi assinado inicialmente por 154 países e hoje já são 197 países que são parte da convenção-quadro e, por isso mesmo, integram a conferência das partes, a COP”, explica Dallari. “Na Rio-92, além da convenção-quadro, também foi aprovada a Convenção sobre Biodiversidade. A COP reúne os 197 países que fazem parte do tratado internacional, mas também participam como observadores organizações não governamentais e mesmo estados e municípios do mundo. O Estado do Amazonas, por exemplo, onde está a floresta amazônica na quase totalidade de seu território, comparece todos os anos às reuniões da COP”, relata o colunista.

Mas qual é a função da COP dentro do quadro das mudanças climáticas? Dallari explica. “A função da COP é monitorar, acompanhar e verificar se os objetivos estabelecidos na convenção-quadro estão sendo cumpridos. Esses objetivos se referem justamente ao combate ao aquecimento global para evitar os danos que estão sendo causados por esse aquecimento ao ecossistema terrestre”, afirma o professor. “As reuniões da COP se valem de vários órgãos de apoio e de monitoramento. O principal deles é o IPCC, que é a sigla em inglês de Painel Intergovernamental de Mudança Climática, criado pela ONU e que fornece subsídios importantes para a COP, inclusive para esta reunião da COP 26. O IPCC recebeu, inclusive, o Prêmio Nobel da Paz em 2007 pela importância do seu trabalho”, diz o colunista. “Em duas reuniões da COP, a COP 3 – em 1997 – e na COP 21, em 2015, foram aprovados documentos que são tratados adicionais à Convenção-Quadro sobre a Mudança do Clima, estabelecendo metas. Ou seja, estabelecendo a quantificação de objetivos  para a redução do aquecimento global.

Na COP 3, de 1997, foi aprovado um documento chamado de Protocolo de Kyoto, e na COP 21 foi aprovado um documento intitulado Acordo de Paris. Esses dois documentos acrescentaram à Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima de 1992 metas para acelerar o processo de combate ao aquecimento global”, explica o professor. “A COP 26, que se realizará nos próximos dias em Glasgow, tem muitos desafios: retomar as metas do Acordo de Paris, aprovar medidas contra o desmatamento – o que interessa especificamente ao Brasil – e, principalmente, evoluir no sentido da mudança da matriz energética global para que haja a substituição dos combustíveis que geram o efeito estufa e o aquecimento global, em sua maior dimensão o carvão e o petróleo, por exemplo. A COP 26 é um momento muito importante para a recuperação da melhoria das condições de vida no nosso planeta”, finaliza Dallari.


Globalização e Cidadania
A coluna Globalização e Cidadania, com o professor Pedro Dallari, vai ao ar toda quarta-feiraa às 8h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.