Consumo de drogas recreativas pode trazer prejuízos à saúde dos olhos

Eduardo Rocha explica que assim como maconha e cocaína, álcool e tabaco também afetam negativamente a saúde ocular

Nesta edição da coluna Fique de Olho, o professor Eduardo Rocha fala sobre a utilização de drogas recreativas para tratamento de doenças oculares. 

Derivados da maconha como, por exemplo, o canabidiol, tem efeito anti-inflamatório comprovado. Porém, o professor chama a atenção para o artigo publicado pela Escola Paulista de Medicina – Unifesp, onde mostra que, mesmo apresentando benefícios para o glaucoma, seria necessária a utilização de doses elevadas que “seriam, ao final, tóxicas para outros órgãos, com enormes efeitos colaterais”. 

Além disso, outra droga utilizada pela medicina foi a cocaína. No entanto, Rocha explica que sua proibição aconteceu “pelo fato de que quantidades acabavam se perdendo pelo uso recreativo de pessoas com acesso ao armário de medicamentos”. A obtenção clandestina de drogas recreativas não garante eficácia terapêutica nem qualidade do produto, informa o professor. 

Rocha também comenta sobre o álcool e o tabaco, que assim como a maconha e a cocaína possuem efeitos tóxicos, indução de crises psicossomáticas e neurossensoriais e, a médio e longo prazo, podem produzir toxicidade aos neurônios. Além de que, o álcool e o tabaco são “tipicamente relacionados à baixa de visão progressiva no idoso”, aceleram processo de envelhecimento, como indução ao aparecimento de catarata e a degeneração da retina.

Ouça acima, na íntegra, a coluna Fique de Olho, com o professor Eduardo Rocha.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.