Desmatamento da Amazônia é o maior desde 2016

Somente no prazo de um ano, de setembro de 2018 a 2019, o aumento foi de 96%

O desmatamento na Amazônia foi de quase 10 mil quilômetros quadrados de floresta em 2019, em dados divulgados pelo Inpe. A maior parte dos especialistas responsabiliza as medidas adotadas pelo governo de Jair Bolsonaro desde o início do ano. O presidente deu declarações desautorizando as práticas de fiscalização do Ibama. Indicou que o governo quer desenvolver economicamente a região e não quer obstáculos ambientalistas nessa direção. O chefe de Estado mandou o ministro do Meio Ambiente “meter a foice” no Ibama. O Inpe foi classificado por Bolsonaro como mentiroso ao apresentar números alarmantes do desmatamento e seu diretor foi demitido.

Segundo o professor Álvaro Moisés, “desde o início, o governo desmobilizou a fiscalização, engavetou os planos de combate ao desmatamento de governos anteriores e deu aval a criminosos ambientalistas”. O cientista político diz que “as políticas adotadas pelo governo atual, na prática, significam um imenso desastre para a área de preservação ambiental”.

 

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da coluna.


Qualidade da Democracia
A coluna A Qualidade da Democracia, com o professor José Álvaro Moisés, vai ao ar toda terça-feria às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.