Colunista fala sobre a militarização do governo Bolsonaro

Para Álvaro Moisés, a escolha de militares para ocupar postos-chave mostra desprestígio dos políticos civis e dos partidos políticos

Para fechar o grupo de militares que compõem o governo Bolsonaro, o general Walter Braga Netto foi a mudança mais recente. Ele substitui o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Essas mudanças já são chamadas de militarização do governo. O próprio presidente da República destaca essa situação ao declarar que seu gabinete no terceiro andar do Palácio do Planalto é completamente militarizado.

Há quem apoie a militarização e veja a mudança como uma atuação com pontos positivos. Mas há reações negativas. O professor José Álvaro Moisés lembra que a atuação só de militares mostra que “há um desprestígio dos políticos civis e dos partidos políticos”. A atuação de muitos militares também pode causar uma instabilidade em um momento de conflito e grandes manifestações, uma vez que há sempre a mesma linha de pensamento. Fica sempre a dúvida se não voltaríamos a um período de ditadura.


Qualidade da Democracia
A coluna A Qualidade da Democracia, com o professor José Álvaro Moisés, vai ao ar toda terça-feria às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.