Ciência pode fazer o futebol brasileiro “enxergar mais longe”

Para especialista, ciência nacional é suficiente para formar bons atletas

Na coluna Ciência e Esporte desta semana, o professor Paulo Roberto Santiago reforça sua tese de que o futebol brasileiro tem muito a ganhar com a ciência. Inspirado na metáfora e na frase do físico Isaac Newton, “se vi mais longe foi por estar sobre os ombros de gigantes”, Santiago acredita que o Brasil, potência do futebol, pode evoluir ainda mais, formando pessoas humanas e educadas, além de bons atletas, se “conseguir enxergar mais longe, usando a ciência a seu favor”.

Santiago conta que esse foi o assunto debatido na live do YouTube, na última terça-feira (26), por pesquisadores, professores de Educação Física e dirigentes e comissão técnica da equipe de futebol CSA de Alagoas. 

Além de conferir o debate na íntegra no canal do time do CSA, os ouvintes podem participar da coluna Ciência e Esporte, sugerindo temas ou enviando questões para as próximas edições pelo e-mail ou através de comentários no canal da coluna no YouTube. A única restrição é que sejam temas relacionados à ciência e esporte. 

Ouça no player acima a íntegra da coluna Ciência e Esporte.


Ciência e Esporte
A coluna Ciência e Esporte, com o professor Paulo Santiago, vai ao ar toda sexta-feira às 10h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.