Caso “guardiões do Crivella” alerta para início de um caminho fascista

Renato Janine considera deplorável que os vereadores cariocas não tenham votado pelo impeachment do prefeito Marcello Crivella diante das denúncias

O caso dos funcionários da Prefeitura do Rio de Janeiro que ficavam na porta de hospitais, atrapalhando reportagens sobre a área da Saúde e constrangendo pacientes, é o tema que o professor Renato Janine Ribeiro aborda em sua coluna Ética e Política desta semana.

“O fato de um prefeito desviar funcionários públicos para uma tarefa totalmente ilegal de impedir pessoas de dizerem o que querem dizer, de impedir a imprensa de fazer o seu trabalho, isso é sinal de um caminho fascista”, alerta o colunista sobre o caso, que ficou conhecido como “guardiões do Crivella”.

O fascismo, explica Janine, se caracterizava pela existência de milícias de grupos paramilitares, às vezes uniformizados, às vezes não, mas que usavam da violência para impedir a expressão dos outros. Isso aconteceu na Itália e na Alemanha. No Brasil, “o que nós estamos tendo é uma versão inicial, mas que vai pela mesma direção”. Medidas enérgicas deveriam ser tomadas em relação ao prefeito, na visão do professor. Para o colunista, é deplorável que a maioria dos vereadores cariocas tenha votado, por 25 votos a 23, pelo arquivamento do processo de impeachment de que o prefeito Marcello Crivella foi alvo em decorrência do caso.

Janine comenta ainda o fato de o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, correr o risco de sofrer impeachment pela Assembleia, e que isso poderia indicar dois pesos e duas medidas. “Evidentemente, não se trata das mesmas acusações, mas, do ponto de vista político, o fato de adotar métodos flagrantemente contrários à democracia e aos princípios republicanos, de usar, para benefício privado, funcionários públicos, isso é totalmente irregular, antiético e ilegal.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Ética e Política.


Ética e Política
A coluna Ética e Política, com o professor Renato Janine Ribeiro, vai ao ar toda quarta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.