Câmara tenta aprovar PIU, mas prioridade deveria ser o transporte

A professora Raquel Rolnik estranha que, num momento em que o mercado mobiliário está aquecido, apareça um projeto para estimular e induzir mais produção de metros quadrados na cidade por parte da Prefeitura

 28/10/2021 - Publicado há 1 mês
Por

A Câmara Municipal de São Paulo está discutindo, nesta semana, temas importantes, como  o aumento do IPTU e a reforma da Previdência dos funcionários públicos municipais, mas outros temas também estão na pauta, como o Projeto de Intervenção Urbana (PIU Central), que é uma  proposta de reestruturação da área central de São Paulo e de bairros como Tamanduateí e Leopoldina. O objetivo central desses projetos é estimular a produção de metros quadrados adicionais de área construída.

A professora Raquel Rolnik alerta ser estranho, num momento em que  o mercado imobiliário está “bombando”, com uma grande quantidade de lançamentos, inclusive durante a pandemia,  aparecer um projeto para estimular e induzir mais produção de metros quadrados de área construída na cidade.  Para ela, Há uma contradição nessa questão, justamente por causa da diminuição das mortes e internações pela pandemia, quando se deveria pensar pela retomada da economia e mobilidade na cidade.

O primeiro tema que deveria estar em discussão é a crise da mobilidade do sistema de transporte coletivo, especificamente dos ônibus, no que diz respeito à gestão e financiamento,  que passou recentemente por licitação e está “congelada” por 35 anos. O setor passou por perdas durante a pandemia, cerca de 50%, e, apesar de ter sido retomado, ainda não se sabe se voltará aos 100% de funcionamento.

A  saída para o setor de transporte,  por ônibus,  seria o aumento da tarifa, o que não deve acontecer com o grande número de desempregados em função da crise.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.