Bambico e Zé Coco do Riachão se destacam como violeiros da cultura brasileira 

Enquanto um está entre os mais importantes violeiros da história da música caipira, o outro é considerado pela crítica como o “Beethoven do Sertão” 

O programa Revoredo desta semana, é dedicado às obras Brincando com a Viola de Domingos Miguel dos Santos, conhecido como Bambico, e Voo de Garças de Zé Coco do Riachão.

Bambico nasceu em Taciba, no interior de São Paulo, e faleceu em julho de 1982, aos 38 anos de idade. Seu trabalho foi considerado fundamental para a criação do pagode de viola e o colocou na lista dos mais importantes violeiros da história da música caipira. Ao longo de sua carreira tocou ao lado de personalidades como João Carreiro, João Mulato e Jacó e Jacozinho. 

José dos Reis Barbosa dos Santos, ou Zé Coco do Riachão, é natural de Brasília de Minas, em Minas Gerais. Passou a maior parte de sua carreira no anonimato, muitas de suas composições se perderam pela falta de registro, tendo sido descoberto, aos 70 anos de idade, por Téo Azevedo. 

O músico não sabia ler e escrever. Viveu da marcenaria e fabricação de rabeca, viola, violão e cavaquinho. Consagrado pela crítica como o “Beethoven do sertão”, aprendeu a tocar os instrumentos de forma autodidata e compôs estilos musicais como lundus, mazurcas, calangos e maxixes. 

No programa tem as músicas: Violinha barulhenta; Azulão do reino encantado; Boiadeiro apaixonado; João sem medo; Meu recanto; A viola é o meu futuro, de Bambico, e  Minha viola e eu; Amanhecendo no SertãoNão me deixe só; Moda da mula preta e Baião da Serra Grande, de Zé Coco do Riachão. 

 Ouça na íntegra o programa Revoredo no player acima,

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.