Produtores rurais sofrem com a alta população de javaporcos

A mistura de porco e javali, javaporcos, tem se espalhado pelo Brasil desde o início dos anos 1980

Os javaporcos são o tema do programa Ambiente é o Meio desta semana, e para falar sobre, foi convidado o professor Adriano Garcia Chiarello do  Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

Para conseguir explicar a origem deste animais, o professor conta que os javaporcos podem ser um javali puro, que veio da Eurásia e que ainda ocorre em seu estágio natural na Europa e na Ásia. Foi trazido para América do Sul há mais de 100 anos e a partir da década de 80 do século passado se espalhou de maneira mais sistematizada pelo Brasil”.

Segundo Chiarello, o porco doméstico nada mais é do que o javali que foi domesticado há mais de dez mil anos atrás, e que como todo animal que tem a finalidade de produção de carne, sofre algumas modificações genéticas, mas ainda continua sendo considerado da mesma espécie dos javalis.

Com isso o professor ressalta que os javalis, quando trazido de forma pura para o Brasil, encontram os porcos domésticos e acasalam, com isso esses descendentes nascem geralmente como javaporcos e ainda conta que esses animais também podem se reproduzir tanto com um porco quanto com um javali.

Chiarello conta que estes animais, de início, foram levados para a Argentina, ainda na década de 60 a 80 do século passado, com a finalidade de caça e, de forma natural, escapavam e acabavam se espalhando, com isso acabaram chegando até o Brasil. “Ao chegar aqui, os produtores queriam cruzar os porcos com os javalis para ter uma carne mais diferenciada, enquanto os criadores de javalis queriam que cruzasse com os porcos para ter uma produção mais rápida, tendo em vista que a gestação dos javalis é mais demorada”, explica.

O professor conta que atualmente os javaporcos estão espalhados por quase todo o país, e apresentam um grande problema “pois são grandes, conseguem facilmente atingir os 80 quilos, se reproduzem com muita facilidade, tendo em média duas gestações por ano com uma reprodução em média de seis filhotes por gestação e ainda se adaptam com facilidade a qualquer ambiente”.

Chiarello ressalta que no fator econômico, o principal prejuízo fica para os produtores rurais, afinal estes animais invadem as plantações para se alimentar. “Eles gostam de milho, então por ser um animal que anda geralmente em grupo, quando invadem as plantações, eles destroçam. Há estudos que dizem que atualmente cerca de 30% da alimentação dos javalis se baseia em cana de açúcar, e para um produtor isso é muito ruim”.

Ouça na íntegra o programa Ambiente é o Meio.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.