As falhas metodológicas de artigo que associa gênero a impacto científico

Nesta semana, Paulo Nussenzveig fala de um polêmico artigo publicado na revista Nature Communications, em 17 de novembro, intitulado A associação entre supervisão informal em colaborações acadêmicas e performance de jovens pesquisadores.

Os autores organizaram informações de uma base de dados com mais de 200 milhões de artigos científicos e mais de 200 milhões de pesquisadores, identificando 3 milhões de pares de coautores experientes e jovens. Eles associam aos coautores mais experientes o papel de mentores informais dos mais jovens, a quem se referem como “protegidos”. Afirmam que a qualidade da orientação recebida permite prever o impacto científico dos artigos de autoria dos protegidos após a colaboração com os mentores.

Segundo o artigo, um aumento na proporção de mentoras mulheres não apenas reduz o impacto posterior de protegidas mulheres, como supervisionar mulheres também reduz o ganho das mentoras. Segundo eles, contrariamente à tendência das atuais práticas de estímulo à diversidade, o impacto de mulheres que seguem carreira científica poderia ser aumentado se elas recebessem orientação de homens.

Nusseinzveig destaca que vários cientistas escreveram carta ao editores da revista, solicitando que o artigo fosse retirado, devido às falhas metodológicas. Face à pressão, agora consta na página da revista uma observação dos editores, que prometem uma resposta editorial em breve.

O colunista aponta ainda que uma das falhas do artigo é querer definir sucesso na carreira científica, de forma absoluta, a partir de levantamentos cientométricos, além do equívoco comum de atribuir causalidade a correlações, sem embasamento suficiente.


Ciência e Cientistas
A coluna Ciência e Cientistas, com o professor Paulo Nussenzveig, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.