Áreas precárias da cidade exigem implementação de políticas públicas

Para Raquel Rolnik, a sociedade civil organizada está estruturando um modo de gestão da pandemia com absoluta precariedade de recursos

Nas periferias, lugares onde o isolamento não faz parte do cotidiano da maior parte das pessoas, o combate ao coronavírus enfrenta dificuldades relacionadas à falta de políticas públicas e atenção das autoridades. A subnotificação deixa dúvidas sobre mortes por problemas respiratórios e sua relação com o coronavírus. Em meio a um cenário de precarização, a sociedade civil organizada tem atuado através de redes de solidariedade de atenção à saúde. A professora Raquel Rolnik, em sua coluna desta semana, fala sobre o tema e traz exemplos de políticas públicas que deveriam ser implementadas nessas áreas, como disposição de cômodos e áreas, tornando-as menos densa, uma atenção muito maior com alimentação e saúde, um trabalho grande de mapeamento das situações e ampliação do acesso à testagem e tratamento.

Acompanhe, pelo link acima, a íntegra da coluna Cidade para Todos.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.