Apenas uma visão integral da sociedade pode combater o racismo

Eunice Prudente diz que o racismo é uma espécie de doutrina acolhida por pessoas que acreditam que existem raças humanas superiores

Em plena crise sanitária, atos graves de discriminação racial são praticados na sociedade, muitas vezes por aqueles que deveriam servir à sociedade. Os servidores públicos, que representam a administração pública, também praticam atos discriminatórios. Racismo é realmente uma espécie de doutrina acolhida por pessoas que acreditam, ainda, que existem raças humanas e que umas são superiores às outras. E de forma autoritária, criminosa, constrangem, ofendem e muitas vezes ceifam vidas de pessoas porque são consideradas de raça inferior. No Brasil, com sua formação tão diversificada, com contribuições de tantos povos, esses atos nunca deveriam ocorrer, mas ocorrem.

A professora Eunice Prudente lembra que “uma obra que merece destaque e serve para pensarmos é: Ética: direito, moral e religião no mundo moderno, de Fábio Konder Comparato. Ela trata da importância, do conhecimento integral da sociedade e de visualizar individualidades e os grupos que as compõem. É a visão política”. No passado, a história mostra que os gregos entendiam a política como uma arte de organização integral da vida na pólis.

Uma visão integral da nossa sociedade requer muita informação sobre essas ocorrências de racismo. Se precisamos de uma visão macroscópica da sociedade para minar, extinguir práticas discriminatórias, discriminação racial inclusive, é preciso a participação de todos e, igualmente, dos governantes para esse conhecimento integral da sociedade. A professora cita que “isto é uma questão política, então precisamos, neste momento, de todos na formação de um novo cidadão brasileiro.”


Educação e Direitos
A coluna Educação e Direitos, com a professora Eunice Prudente, vai ao ar toda sexta-feira às 8h30, na Rádio  USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e  TV USP. 

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.