Ao invés de promover cortes, governo precisa estimular grande programa de habitação social

Em comentário sobre o recente veto presidencial de 73% dos recursos destinados à habitação social, Nabil Bonduki defende a criação de um programa habitacional para estimular a economia e enfrentar a pandemia

 29/04/2021 - Publicado há 7 meses
Por

Na edição de Cotidiano na Metrópole desta semana, o arquiteto e urbanista Nabil Bonduki, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, comenta a decisão do presidente Jair Bolsonaro que, ao sancionar o orçamento da União, vetou 73% dos recursos destinados à habitação social, um tipo de habitação destinado à população que ganha até dois salários mínimos.

De acordo com Bonduki, a decisão é uma “verdadeira tragédia” para a situação atual do País. No contexto da pandemia, o veto significa a paralisação da construção de 250 mil casas, ou seja, “teremos 250 mil famílias que não receberão as suas casas próprias neste ano”, reforça. Além disso, é estimado que 750 mil trabalhadores diretos e indiretos perderão o emprego, como consequência dessa medida.

Para o professor, com recursos diminuídos e obras paralisadas, o corte resultará em “prejuízo certo”. A resposta, na opinião do urbanista, seria a criação de um grande programa habitacional, já que o estímulo à habitação popular poderia impactar tanto a economia, com a geração de empregos e crescimento econômico do País, quanto no enfrentamento da atual crise sanitária. “Na pandemia, a casa se tornou o centro da vida das pessoas”, afirma ao destacar que, além de ser espaço de moradia e lazer, a casa também se tornou local de trabalho para uma parcela significativa da população.

“Garantir a moradia para cada cidadão brasileiro é um elemento fundamental para se combater a desigualdade”, finaliza.


Cotidiano na Metrópole
A coluna Cotidiano na Metrópole, com o professor Nabil Bonduki, vai ao ar toda quinta-feira às 10h00, na Rádio  USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e  TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.