Adeptos da “colapsologia” se equivocam ao usar como base um dos livros de Jean-Pierre Dupuy

José Eli da Veiga analisa a postura dos “colapsólogos”, que acreditam ser fundadores de uma nova disciplina, a “colapsologia”, que vem ganhando adeptos na França

Uma das principais conclusões do professor José Eli da Veiga sobre a conversa com Jean-Pierre Dupuy, da Universidade de Stanford (EUA), é que “o encontro foi erudito”. O colunista foi o organizador do evento Conversa com Jean-Pierre Dupuy, que aconteceu na última terça-feira (3), na sala Alfredo Bosi do Instituto de Estudos Avançados da USP. “Mas o principal é que houve uma discussão sobre a ideia, que é relativamente comum, de que estamos caminhando para uma catástrofe”, destaca. Segundo o colunista, muitos que abordam o tema se referem a questões ambientais. “Outros pensam no perigo nuclear e numa série de riscos que estão se acumulando com o desenvolvimento tecnológico”, cita o professor.

Segundo Eli da Veiga, há um grupo de autores, particularmente na França, que se intitula “colapsólogos”. “Eles estão usando como referência uma das obras de Dupuy, O tempo das catástrofes, título com o qual foi publicada aqui no Brasil, mas que, traduzido ao pé da letra, seria Catastrofismo Esclarecido, lembra o professor. “Mas Jean-Pierre Dupuy, que já publicou 44 livros, não quis dizer que o colapso será inevitável”. Para entender a diferença entre esses pensamentos, o colunista recomenda uma visita ao site do IEA e o acesso ao vídeo do encontro que, em breve, estará disponível. O encontro também contou com a presença dos professores Eduardo Viola, da UnB, Ricardo Abramoway, do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP, e de Eduardo Matias, que é pesquisador visitante em Stanford (EUA).

Ouça no link acima a íntegra da coluna Sustentáculos.


Sustentáculos
A coluna Sustentáculos, com o professor José Eli da Veiga, vai ao ar toda segunda-feira às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.