A “nova ciência” da sustentabilidade surgiu há 20 anos

A existência de uma “ciência da sustentabilidade” ainda não é um consenso, pois muitos a consideram objeto de estudo

Há 20 anos, 23 pesquisadores, principalmente ecólogos, se reuniram na Suécia para discutir as bases do que poderia vir a ser uma “nova ciência”: a sustentabilidade. Pouco tempo depois, em abril de 2001, eles publicaram um curto artigo na revista Science sobre o tema. “Estamos comemorando essa data, mesmo que grande parte das pessoas não considere que exista uma ciência da sustentabilidade”, observa Eli da Veiga. “Eu acho que até mesmo colegas da USP teriam essa dúvida!”. De acordo com o colunista, o mais comum é entender a sustentabilidade como um objeto de estudo.

Eli da Veiga lembra que, nessa trajetória de 20 anos, ocorreu um paralelo, que foi a ciência do sistema Terra. Trata-se, segundo ele, de um processo semelhante e anterior que surgiu com força na Nasa, principalmente nos anos 1980. “Creio que, pelo número de artigos científicos e de pesquisadores dedicados à ciência do sistema Terra, ela estaria mais legitimada do que a ciência da sustentabilidade”, pondera Eli da Veiga. No entanto, como destaca o colunista, recentemente o ecólogo William Clark, de Harvard, publicou um texto tentando mostrar que existe, sim, uma ciência da sustentabilidade. “Há 20 anos, ele foi um dos principais protagonistas dessa ideia!”

Ouça no player acima a íntegra da coluna Sustentáculos.


Sustentáculos
A coluna Sustentáculos, com o professor José Eli da Veiga, vai ao ar toda quinta-feira às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.