USP Analisa #74: Qualidade do diretor escolar traz impacto na aprendizagem

Segundo Mozart Neves Ramos, entrevistado do USP Analisa desta semana, gestor eficaz gera para escola 12 pontos a mais, em média, no SAEB

Por
Jornal da USP
Jornal da USP
USP Analisa #74: Qualidade do diretor escolar traz impacto na aprendizagem
/

Em um mundo disruptivo, marcado pelo surgimento de problemas cada vez mais complexos, as escolas devem estar preparadas para formar alunos capazes de lidar com esses desafios. Além do professor, outra figura é fundamental nesse processo: o diretor escolar. Por isso, o Conselho Nacional de Educação aprovou uma matriz de competências que esse profissional deve ter para gerir a escola. Para falar sobre essa matriz e o papel do diretor, o USP Analisa desta semana conversa com o integrante do CNE e titular da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP, Mozart Neves Ramos.

Ele explica que o diretor hoje precisa ter competências que vão além da formação pedagógica, suficiente para a função há pouco mais de dez anos. “Um diretor deve ter competências capazes de dialogar com as questões pedagógicas, contábeis, financeiras, com a gestão de pessoas, com as novas tecnologias e comunicação. É um desafio enorme hoje gerir uma escola, principalmente uma escola pública. Só a título de exemplo: um gestor escolar eficaz promove 12 pontos a mais, em média, no SAEB, que é o Sistema de Avaliação da Educação Básica, tanto em língua portuguesa como em matemática. Ter um líder eficaz traz impacto à própria aprendizagem. Depois do professor, a qualidade do diretor é o fator mais importante na educação”, diz Mozart.

O professor afirma que a matriz de competências do diretor escolar foi formulada pelo CNE por meio do diálogo com diversos atores educacionais, como o próprio Ministério da Educação, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), conselhos estaduais e municipais de educação, a Federação Nacional das Escolas Particulares, as universidades e o terceiro setor. As discussões duraram mais de cinco meses e, segundo ele, geraram um documento mandatório, ou seja, que deve ser comum a todas as redes e sistemas de ensino.

“Nós conseguimos estabelecer dez competências gerais que todos os diretores devem desenvolver; um conjunto de 17 competências específicas, ancoradas em quatro grandes dimensões; e 95 atribuições, essas sim, flexíveis, e que podem ser naturalmente usadas como inspiração e recomendação, mas não mandatórias, para as redes e sistemas de ensino”, conta.

Mozart também foi um dos palestrantes no curso Políticas Públicas e a Qualidade da Educação, promovido pela Cátedra. Para assistir ao vídeo da aula, que também abordou as competências do diretor escolar, acesse o canal do IEA-RP no YouTube.

A entrevista vai ao ar nesta quarta (3), a partir das 18h05, com reapresentação no domingo (7), às 11h30. O programa também pode ser ouvido pelas plataformas de áudio iTunes e Spotify

O USP Analisa é uma produção conjunta do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP e da Rádio USP Ribeirão Preto. Para saber mais novidades sobre o programa e outras atividades do IEA-RP, inscreva-se em nosso canal no Telegram.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.