USP Analisa #67: Educação híbrida complementa e não substitui aulas presenciais

Especialista explica no USP Analisa desta semana o que é essa modalidade e qual a diferença entre ela e o ensino híbrido

Por
Jornal da USP
Jornal da USP
USP Analisa #67: Educação híbrida complementa e não substitui aulas presenciais
/

A necessidade de suspensão das aulas presenciais imposta pela pandemia trouxe a discussão sobre formas de educação híbrida. Mas será que essa modalidade envolve apenas professores e estudantes interagindo a distância pelo computador? Para explicar melhor o que é a educação híbrida e entender como ela pode ser uma ferramenta na recuperação do aprendizado, o USP Analisa desta semana conversa com a pedagoga, ex-presidente do Inep e atual presidente da Associação Nacional de Educação Básica Híbrida (ANEBHI), Maria Inês Fini.

A pedagoga destaca que existe uma diferença muito grande entre o que as pessoas chamam de ensino híbrido, termo que ficou bastante em evidência com as aulas remotas, e a educação híbrida em si. “Se nós falarmos só de ensino híbrido, nós excluímos aprendizagem híbrida. Então temos usado o conceito de educação híbrida, que combina ensino e aprendizagens presenciais com ensino e aprendizagens remotas. E é muito diferente de educação a distância, porque isso não é permitido na educação básica do Brasil. Além disso, a escola presencial é a etapa obrigatória pela qual vamos lutar sempre, porque a escola presencial faz falta na vida de todas as crianças. A educação híbrida complementa o ensino e aprendizagens presenciais, mas não substitui”, explica ela.

Segundo Maria Inês, a educação híbrida não é uma novidade, já que os professores sempre passam alguma tarefa para ser feita fora do ambiente escolar, a famosa lição de casa. A diferença, segundo ela, é que agora a tecnologia traz a possibilidade de tornar essa modalidade muito mais atrativa.

“O remoto não necessariamente precisa ser na casa do aluno. Pode ser em uma outra sala da própria escola. Se a escola tem um bom laboratório, hoje você tem plataformas gratuitas, como a Khan Academy, por exemplo, que permite organizar uma série de sequências didáticas e de aprendizagem para que os alunos possam repor aquilo que faltou”, afirma.

A presidente da ANEBHI vai falar sobre a educação híbrida nesta semana no curso Políticas Públicas e a Qualidade da Educação, que é organizado pela Cátedra Sérgio Henrique Ferreira. Embora o curso seja fechado, os vídeos das aulas estão sendo disponibilizados no canal do IEA-RP no YouTube.

Para saber mais novidades sobre o USP Analisa e outras atividades do IEA-RP, inscreva-se em nosso canal no Telegram.


USP Analisa
O USP Analisa Vai ao ar pela Rádio USP às quartas-feiras, às 18h05, com reapresentação aos domingos, às 11h30, e também está disponível nos principais agregadores de podcast. O programa é uma produção conjunta da Rádio USP Ribeirão Preto (107,9 MHz) e do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP. Apresentação e edição: Thaís Cardoso. Produção: João Henrique Rafael Junior. 

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.