USP Analisa #19: É preciso desenvolver estratégias de acesso à atividade física, diz especialista

Pesquisa mostra efeito positivo da prática sobre saúde mental durante a pandemia

Por
Jornal da USP
Jornal da USP
USP Analisa #19: É preciso desenvolver estratégias de acesso à atividade física, diz especialista
/

O USP Analisa apresenta, nesta semana, a segunda parte da entrevista com os professores Rafael Guimarães dos Santos, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, e Átila Alexandre Trapé, da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto. Eles abordam detalhes das pesquisas que estão desenvolvendo em parceria com universidades da Europa e América Latina sobre saúde mental durante a pandemia de covid-19.

Segundo Átila Trapé, a pesquisa desenvolvida na EEFERP, em parceria com universidades do Uruguai, do Chile e da Espanha, está mostrando que a atividade física tem um efeito positivo sobre a saúde mental das pessoas. Dentro do universo de 3.400 formulários que começaram a ser analisados, 100 deles já apresentam resultados nesse sentido.

“Esse pessoal que já fazia atividade física previamente, por essa análise breve que a gente fez, tem apresentado respostas psicológicas mais leves. E essas pessoas que já faziam atividade física antes continuam praticando. É aquele vício bom. Você tem uma sensação de bem-estar. E muitas vezes você cria um vínculo com a atividade que é muito interessante”, afirma ele.

Ele ressalta que, além das autoridades em saúde recomendarem a prática de atividades físicas, é preciso pensar em estratégias para que a população possa ter acesso. “Inclusive, um momento como este é a época de se reinventar. Já consigo imaginar disciplinas dentro da graduação em que a gente vai incentivar os alunos a trabalhar com essa ideia da videoaula. É uma coisa muito real agora e que talvez muita gente não estava preparada para lidar com a rede social, qualidade de vídeo, como se expressar. Até mesmo o treino de falar para uma câmera, porque as pessoas não estão acostumadas.”

Rafael Santos destaca que os dados da pesquisa podem ser usados para buscar psicofármacos mais eficazes e com menos reações adversas. “Nós trabalhamos com alguns compostos, essencialmente o canabidiol e a ayahuasca. Nossos estudos já mostram que eles têm potencial antidepressivo e ansiolítico. Embora nós não tenhamos nenhum projeto pensado especificamente para a população com covid-19 neste momento, estamos pensando também a longo prazo”, diz ele.

Saiba mais ouvindo este episódio do USP Analisa na íntegra.


USP Analisa
O USP Analisa Vai ao ar pela Rádio USP às quartas-feiras, às 18h05, com reapresentação aos domingos, às 11h30, e também está disponível nos principais agregadores de podcast. O programa é uma produção conjunta da Rádio USP Ribeirão Preto (107,9 MHz) e do Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP. Apresentação e edição: Thaís Cardoso. Produção: João Henrique Rafael Junior. 

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.