Sociedade em Foco #133: Com as atenções voltadas aos atos de vandalismo em Brasília, políticas públicas ficam em segundo plano

O professor José Luiz Portella avalia os efeitos e consequências das manifestações violentas ocorridas no início do mês

Momento Sociedade - USP
Momento Sociedade - USP
Sociedade em Foco #133: Com as atenções voltadas aos atos de vandalismo em Brasília, políticas públicas ficam em segundo plano
/

Os atos de vandalismo praticados por um grupo de apoiadores extremistas do ex-presidente Jair Bolsonaro, ocorridos no segundo domingo do ano (8), não só causaram uma disrupção na ordem e no respeito ao que é público, mas também podem ocasionar prejuízos na elaboração de políticas públicas.  

No Sociedade em Foco de hoje (17), o doutor em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e pesquisador do Instituto de Estudos Avançados da USP José Luiz Portella avalia que os atos, ao tomarem a agenda do governo, fazem com que a elaboração de políticas públicas fiquem em segundo plano. 

“Além das providências e das investigações, você tem uma tomada na agenda por parte dessa discussão. Então, os outros Ministérios [sem ser o da Defesa] começam a ir atrás de coisas que tenham ligação com esses atos”, explica Portella. A falta de planejamento dos Ministérios e as manifestações iniciais dos ministros que geraram ruídos, assim como medidas anunciadas – como o pacote econômico de Haddad – são alguns outros fatores que atrapalham a formulação plena de políticas públicas. 

O professor também destaca que o governo, por não possuir um plano concreto de medidas e apenas apresentar ideias gerais, complica a elaboração dessas políticas. A tudo isso se somaram as manifestações, que estão trazendo afastamento das prioridades das ações. 

À medida em que novas revelações sobre os atos do dia 8 vierem a público e as investigações prosseguirem, novas mobilizações do governo e seus Ministérios irão acontecer. “Isso vai dando ramificações, você perde o foco principal, que são as políticas públicas”, lembra Portella. 

Por fim, destaca que “nós precisamos ter um plano de metas semelhante ao que o governo Juscelino Kubitschek fez”.


Momento Sociedade
O Momento Sociedade vai ao ar na Rádio USP todas as segundas-feiras, às 8h30 – São Paulo 93,7 MHz e Ribeirão Preto 107,9 MHz e também nos principais agregadores de podcast

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.