Sociedade em Foco #113: Questão da cracolândia precisa ser resolvida de maneira coordenada

Para José Luiz Portella, “não adianta a Polícia entrar lá sozinha, […] precisa ter o planejamento das outras ações”

Momento Sociedade - USP
Momento Sociedade - USP
Sociedade em Foco #113: Questão da cracolândia precisa ser resolvida de maneira coordenada
/

O professor José Luiz Portella, no podcast Sociedade em Foco, explica a respeito da problemática dos moradores de rua e da cracolândia. Primeiramente, ele destaca que há cerca de 36 mil indivíduos na rua e que o governo tem recursos para tirá-los da pobreza, principalmente na cidade e no Estado de São Paulo. “É um trabalho muito longo, que tem uma coisa que os brasileiros não gostam: disciplina e persistência.” Além disso, a própria máquina pública tem problemas administrativos, o que dificulta ainda mais. 

Para solucionar o problema, é necessário também ajuda da sociedade. Portella fala de algumas iniciativas: doações diretas de empresários e pessoas a uma família necessitada, sem passar pelo governo; coordenar o trabalho das ONGs, pois “ninguém sabe se tem ONG por todo lugar”, as quais possam atender a todos que precisam; e fazer o “treinamento de jovens e filhos de pessoas que estão na rua para que consigam trabalho”.

Já no caso da cracolândia, conforme ressalta o professor, é mais complexo, dado que “as pessoas estão num grau de vício em que já não conseguem pensar”. Além disso, o Auxílio Brasil, que poderia ajudá-los, fica com os traficantes, que “fornecem uma cota por mês, para aquelas pessoas, de crack”. Nesse sentido, é uma questão não só de saúde pública, mas social também. “Não adianta a Polícia entrar lá sozinha, […] precisa ter o planejamento das outras ações”, afirma Portella. 

Por fim, para o professor, o problema dos moradores de rua poderia ser resolvido em quatro anos, pelo menos em São Paulo. “Infelizmente a sociedade paulista e brasileira não está debruçada sobre o problema da pobreza e por isso ela continua.”


Momento Sociedade
O Momento Sociedade vai ao ar na Rádio USP todas as segundas-feiras, às 8h30 – São Paulo 93,7 MHz e Ribeirão Preto 107,9 MHz e também nos principais agregadores de podcast

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.