Saúde Sem Complicações #38: Alzheimer é a causa mais comum de demência entre os idosos

Mais de 50% de todas as demências nos idosos foram disparadas pelo Alzheimer, que é progressivo e leva a quadros mais graves em média de seis a oito anos

Por - Editorias: - URL Curta: jornal.usp.br/?p=368824

Saúde Sem Complicações #38: Alzheimer é a causa mais comum de demência entre os idosos
Saúde sem Complicações

 
 
00:00 / 29:32
 
1X
 

O podcast Saúde Sem Complicações desta semana recebe o professor e especialista em Geriatria Julio Cesar Moriguti, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, para falar sobre demências. 

Condição caracterizada pela perda da função cerebral, na demência o indivíduo apresenta problemas cognitivos, de memória e raciocínio, que afetam também a linguagem, o comportamento e alteram a própria personalidade do paciente, prejudicando a qualidade de vida do indivíduo.

Segundo o professor, existem vários tipos de demências, sendo a mais comum nos idosos a demência irreversível, provocada pela doença de  Alzheimer. Moriguti diz que esse tipo de desordem engloba mais de 50% de todos os tipos de demência nas pessoas de idade avançada.

Algumas demências, comenta o professor, são potencialmente reversíveis se tratadas rapidamente em seu início. É o caso das causadas por hidrocefalia de pressão normal, tumores no lóbulo frontal do cérebro, tireoidites, pseudodemência depressiva, alterações do lúpus, renais e hepáticas. No entanto, para os demais tipos, Moriguti explica que a doença é progressiva, tendo como principais sintomas os ligados a esquecimentos frequentes de fatos, afazeres e nomes importantes. A evolução da demência de leve para uma fase avançada varia de caso para caso; porém, adianta o professor, em média progride para quadros graves entre seis e oito anos. 

Moriguti afirma que as demências podem provocar delírios na fase mais avançada da doença. Mas, se acontecerem abruptamente, necessitam de investigações rápidas de especialistas, pois podem ser indícios de Acidente Vascular Cerebral e infarto, por exemplo. 

Como forma de retardar a evolução da doença, o professor lembra das atividades físicas, dos treinamento de memória, da leitura, palavras cruzadas e Sudoku como importantes aliados para os idosos acometidos pela demência em fase leve. Já os quadros mais avançados precisam de auxílio de profissionais, como terapeutas ocupacionais, psicólogos e fisioterapeutas. 

Para saber mais, ouça o podcast na íntegra no player acima.


Saúde sem complicações

Apresentação: Mel Vieira
Produção: Mel Vieira e Flávia Coltri
Edição: Rita Stella
Edição Sonora: Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana
Coordenação: Rosemeire Talamone
Edição Geral: Cinderela Caldeira
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: terça-feira, às 13h.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS
 

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.