Saúde Sem Complicações #84: Câncer de pulmão é o mais comum, principalmente entre fumantes

Como sintomas não aparecem em estágio inicial da doença, chance de cura cai, mas tratamentos avançaram muito nos últimos anos permitindo maior sobrevida

Jornal da USP
Jornal da USP
Saúde Sem Complicações #84: Câncer de pulmão é o mais comum, principalmente entre fumantes
/

O podcast Saúde Sem Complicações desta semana recebe Fernanda Maris Peria, professora da Divisão de Oncologia Clínica do Departamento de Imagens Médicas, Hematologia e Oncologia Clínica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP. A professora Fernanda, que coordena as disciplinas de oncologia clínica e biologia do câncer da FMRP, fala sobre o câncer de pulmão que, segundo o American Institute for Cancer Research, prevalece em cerca de 15,5% dos casos de câncer no mundo e, no Brasil, fica na 3ª posição, com 7,9% dos tumores diagnosticados.

O que é e como se desenvolve o câncer de pulmão? 

O câncer de pulmão, segundo Fernanda, “está, em grande parte, relacionado ao tabagismo, seja ele passivo ou ativo”. O tabagismo passivo é “aquele em que a pessoa não fuma, mas possui moradores na residência que fumam no ambiente”. A inalação dessa fumaça causa irritação e inflamação nas vias respiratórias, chegando na região do pulmão. As substâncias carcinogênicas, “encontradas tanto no cigarro de palha quanto no de filtro”, estimulam a multiplicação desordenada das células. 

De acordo com a professora, existem alguns casos em que a pessoa nunca fumou e desenvolveu o câncer de pulmão. Essa condição é explicada por “alterações genéticas do próprio indivíduo, que não necessariamente passa de pai para filho, e acaba favorecendo o surgimento do câncer”.

Sintomas e cura do câncer de pulmão

Os sintomas do câncer de pulmão geralmente começam quando a lesão já está em um nível um pouco mais avançado. Fernanda conta que “o quadro inicial não tem uma clínica muito exuberante” e os sintomas que podem ser observados no começo da doença são “tosses persistentes, falta de ar e, em casos mais graves, tosse com saída de sangue e pneumonia de repetição”, além da “perda de peso repentina, sem dietas ou exercícios”.

Metade dos casos de câncer de pulmão é diagnosticada no estágio avançado da doença e, com isso, a chance de cura cai para praticamente zero, conta a professora. O cálculo feito nesse tipo de situação é para a sobrevida, que geralmente varia até cinco anos.

Tratamento do câncer de pulmão

O tratamento do câncer de pulmão é um dos que mais avançaram nos últimos dez anos, permitindo “uma sobrevida maior e com efeitos colaterais diferentes e menos agressivos do que a quimioterapia”, diz Fernanda. “Comprimidos usados para agir naquela via do tumor e imunoterapia estimulam o sistema imune do próprio indivíduo a combater a célula do tumor”, explica. Mesmo não sendo tratamentos que garantem cura, essas opções ajudam a manter uma qualidade de vida maior para o paciente com câncer de pulmão.

Os ouvintes podem enviar sugestões de temas e comentários para o e-mail: ouvinte@usp.br


Saúde sem complicações

Produção e Apresentação: Mel Vieira
Coprodução e Edição: Rádio USP Ribeirão Preto
Edição: Rita Stella
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: terça-feira, às 13h.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS
 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.