Saúde Sem Complicações #42: É preciso diferenciar fobia social de timidez

Saúde Sem Complicações #42: É preciso diferenciar fobia social de timidez
Saúde sem Complicações

 
 
00:00 / 27:28
 
1X
 

O Saúde Sem Complicações desta semana recebe o psicólogo Lucas Lotério, pesquisador do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Psicologia da Saúde (LEPPS) do Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, para falar sobre fobia social. 

Segundo Lotério, fobia social é um transtorno psicológico, caracterizado por situações de medo e desconforto, desencadeado por interações e exposições sociais. Trata-se de um transtorno  bastante comum no Brasil, adianta o psicólogo, informando que são diagnosticados mais de 150 mil novos casos a cada ano no País. 

Pessoas que apresentam doenças como depressão, ansiedade ou que passaram por estresse pós-traumático estão no grupo de risco para desenvolver a fobia social. Conta Lotério que são essas as pessoas mais propensas a desenvolver os principais sintomas do transtorno, que envolvem medo irracional de julgamentos e de ser constrangido, além de sintomas físicos como sudorese, taquicardia, aumento da pressão arterial, dores de cabeça e até mesmo náusea. São sintomas que podem ser confundidos com outras doenças. 

Ao falar sobre os sintomas do transtorno, o psicólogo chama a atenção para que seja feita a distinção entre fobia social e timidez. Diferente da timidez, a fobia social faz com que o indivíduo evite ao máximo lugares com muitas pessoas e atividades e interações que possam gerar julgamentos. Além disso, as pessoas tímidas não apresentam sintomas físicos tão sérios.

O psicólogo explica que o diagnóstico deve ser realizado por um médico psiquiatra, que é o profissional capacitado para avaliar a intensidade e a duração dos sintomas do paciente. Segundo ele, o tratamento para a fobia social é realizado com o auxílio de medicamentos ansiolíticos e antidepressivos receitados pelo psiquiatra em conjunto com psicoterapia. A abordagem, geralmente, é a cognitiva comportamental, mas outras também são capazes de tratar o transtorno, desde que realizadas por um profissional da psicologia.

Para saber mais, ouça o podcast na íntegra no player acima.


Saúde sem complicações

Apresentação: Mel Vieira
Produção: Mel Vieira e Flávia Coltri
Edição: Rita Stella
Edição Sonora: Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana
Coordenação: Rosemeire Talamone
Edição Geral: Cinderela Caldeira
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: terça-feira, às 13h.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS
 

.