Pílula Farmacêutica #72: Cosméticos com probióticos podem contribuir para a saúde da pele

O objetivo, segundo especialista, é equilibrar o sistema de defesa da pele que, naturalmente, age contra agressores

Jornal da USP
Pílula Farmacêutica #72: Cosméticos com probióticos podem contribuir para a saúde da pele
/

O poder dos probióticos para o reequilíbrio da saúde já está há muito tempo estabelecido, com reconhecido benefício por povoar a flora intestinal. Mas, recentemente, pesquisas mostram seu potencial para tratamentos cosméticos da pele. Nesta edição do Pílula Farmacêutica, a acadêmica Kimberly Fuzel, orientada pela professora Regina Andrade, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, adianta que os cosméticos com probióticos surgem, então, com a proposta de restabelecer o equilíbrio e fortalecer a barreira de defesa natural da nossa pele.

O que são probióticos?

Probióticos são microrganismos, bactérias que fazem bem para o organismo humano desde que “ingeridas em quantidades adequadas”, diz Kimberly. São mais conhecidos por povoar a microbiota intestinal, “a flora intestinal”, formada por vários fungos e bactérias com “papel importante no funcionamento do nosso corpo”.

Do equilíbrio da microbiota intestinal depende a saúde do organismo. Equilíbrio este que pode ser restabelecido pelos probióticos, em forma de suplementos ou alimentos específicos, capazes de fazer a recomposição e a manutenção da flora intestinal. Segundo Kimberly, os probióticos se multiplicam na microbiota, aumentando as bactérias benéficas e auxiliando na melhora de diversos sintomas e desconfortos orgânicos.

Uso de probióticos para doenças da pele

Os probióticos podem ajudar na manutenção da saúde da pele porque a barreira de defesa natural da pele é também composta de microrganismos. Assim, como ocorre com a microbiota intestinal, a pele também precisa contar com “um equilíbrio dessas bactérias” para que o sistema de defesa possa cumprir bem o seu papel.

O problema enfrentado pela pele, adianta Kimberly, é que ela está “constantemente exposta a fatores que ameaçam e comprometem esse equilíbrio, como poluição, sol em excesso e produtos químicos, que podem causar ainda o aumento de bactérias ruins”. Como resposta ao desequilíbrio dessas bactérias, podem ocorrer problemas dermatológicos, como acne, rosácea e eczema.

E é justamente para atacar esse desequilíbrio que surgiram os cosméticos com probióticos, conta a acadêmica, adiantando que o uso de cosméticos com probióticos pode trazer diversos benefícios, como a melhora nos quadros de acne, “além de contribuir no tratamento de doenças como dermatite atópica e psoríase”. 

Contudo, Kimberly lembra que a prática de uso de probióticos em cosméticos é recente, necessitando ainda de mais estudos e pesquisas sobre sua total segurança e eficácia. Portanto, vale a dica de procurar orientação antes de utilizar os produtos.


Pílula Farmacêutica
 
Apresentação: Kimberly Fuzel e Giovanna Bingre
Produção: Professora Regina Célia Garcia de Andrade e Rita Stella
Co-produção: Rita Stella
Edição geral: Cinderela Caldeira
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: segunda e quarta, às 10h40
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS .
Veja todos os episódios de Pílula Farmacêutica .


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.