Momento Sociedade #7: Elite brasileira segue sem projeto de autonomia cultural para o País

No Momento Sociedade desta semana, José Luiz Portella, doutorando em História Econômica na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, apresenta a dissertação de mestrado “Vanguarda do atraso ou atraso da vanguarda? Oswald de Andrade e os teimosos destinos do Brasil”, defendida em 2012 pela autora Bruna Della Torre de Carvalho Lima.

Portella explica que a dissertação acabou virando livro e é um material muito rico sobre a “dependência cultural brasileira”. Ao trabalhar em cima de textos do modernista Oswald de Andrade como a peça O Rei da Vela (1933) e o Manifesto Antropófago (1928) por exemplo, o livro pretende encontrar as matrizes do conceito de antropofagia. “Oswald de Andrade tinha um cuidado na absorção de aspectos de outras culturas para que se incorpore somente o necessário. Assim, a modernidade não acabaria sufocando as culturas naturais do Brasil, impedindo a transformação da cultura brasileira em um amontoado de fragmentos das culturas exteriores”, comenta.

Diálogos na USP #03 Mercosul e UE finalizam acordo

Esse acordo se coloca como o segundo maior do mundo em relação ao PIB somado de seus participantes, atrás apenas do PIB do acordo entre a União Europeia e o Japão.
Por outro lado, ao mesmo tempo que vemos parcerias sendo fechadas, temos também rixas crescentes, como as disputas comerciais entre Estados Unidos e China, por exemplo. Além do mais, não é apenas a questão puramente econômica que deve ser colocada em uma mesa de negociação ou na formalização de parcerias. Questões sociais e do meio ambiente também precisam ser levadas em consideração. Mas o que essas parcerias realmente significam? Qual o papel do Brasil nesse mundo globalizado?
Os professores Pedro Dallari e Simão Silber comentam o novo acordo entre Mercosul e União Europeia e quais serão as mudanças que os blocos enfrentarão no Diálogos na USP desta semana

Jornal da USP no Ar – Medicina #11: Obesidade já é epidemia na América Latina

Doença não deve ser tratada como problema individual e exige estratégias governamentais remediadoras. Especialista e diretor da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica comenta a iniciativa, endossada também por outras associações do mundo inteiro de simplificar as informações nos rótulos dos alimentos. Já as doenças típicas do tempo seco podem ser controladas com o diagnóstico correto do que provoca a crise alérgica. O tratamento não se restringe apenas ao uso de medicamentos como antibióticos e corticoides.

Diálogos na USP #02 Chegada do homem à Lua um grande salto para a Humanidade

No “Diálogos na USP”, os professores Glauco Arbix e Amâncio César Friaça relembram os 50 anos da chegada do homem à Lua. A importância da data reside no fato de essa conquista espacial ter sido responsável por elevar o nível da ciência mundial, inspirando carreiras ao mostrar que o espaço não era uma fronteira intransponível

Estudo analisa os registros históricos da arquitetura de Brasília

A cidade que é uma das maiores experiências modernas de todo o século 20, foi tema de um estudo de mestrado realizado no Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP, em São Carlos. Em entrevista aos Novos Cientistas o arquiteto Luiz Gustavo Sobral Fernandes falou sobre seu estudo

Jornal da USP no Ar – Medicina #10: Médicos que salvam vidas em situações extremas

“Refugiados saem de onde vivem, têm familiares e amigos, só se faz isso quando se teme a morte, diz Drauzio Varella. A convite da organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) ele conheceu de perto as dificuldades das vítimas da guerra e o trabalho desses profissionais. “Se você quer realmente tratar da situação das pessoas, são momentos como os da expedição que realmente contam. Mas primeiro você tem de estar despojado de interesses. Isso é o gratificante da profissão”, revela o médico Nelson De Luccia que foi ao Haiti com a organização não governamental Expedicionários da Saúde tratar as vítimas do terremoto.

Momento Tecnologia #13: Como simulador da USP ajuda a economia do Brasil

O Tanque de Provas Numérico da USP é referência mundial na área de ensaios e avaliação de embarcações e plataformas no Brasil. Ele auxilia em duas áreas da economia brasileira, a portuária e a de indústria de óleo e gás, fazendo com que o Brasil aumente o seu potencial econômico no exterior. Mas, muito mais do que isso, ele também tem potencial para melhorar a sustentabilidade do País.