Momento Tecnologia #15: Sensores monitoram enchentes via computação em nuvem e redes sociais

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveram uma tecnologia nacional capaz de coletar dados e detectar se está ocorrendo o transbordamento de um rio. O sistema já foi testado e adotado pela Defesa Civil de Santa Catarina, e agora o foco é desenvolver formas de prever enchentes e expandir o uso dos sensores no Brasil. Para isso, os estudos vêm testando a eficácia da mineração de dados on-line e de técnicas de inteligência artificial

Por - Editorias: - URL Curta: jornal.usp.br/?p=269905
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Momento Tecnologia #15: Sensores monitoram enchentes via computação em nuvem e redes sociais
Momento Tecnologia - USP

 
 
00:00 / 9:41
 
1X
 

Tecnologias capazes de detectar enchentes já são implantadas em países como a Inglaterra, onde o transbordamento de rios é sazonal. Pensando em como esses fenômenos são comuns no Brasil, o pesquisador Jó Ueyama, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveu sensores capazes de detectar enchentes, aferindo grandezas como a altura da água e a pressão.

A implementação desse sistema, chamado de e-NOE, passou por estudos de caso realizados em cidades do interior de São Paulo, os quais foram bem-sucedidos. A partir disso, esses sensores foram ganhando novas funções, como a de detectar o nível de poluição dos rios. Mais recentemente, o foco dos pesquisadores Thiago Costa e Gustavo Furquim, que continuam esses estudos, é a previsão, já que “ao invés de dizer que ocorreu uma enchente em algum lugar, é melhor você ser uma espécie de guru para dizer ‘olha, ali daqui a cinco minutos vai encher’. Isso é mais valioso porque é possível evacuar as regiões afetadas e evitar tantas perdas materiais”, segundo o pesquisador.

Esta edição do podcast Momento Tecnologia busca entender como esse sistema funciona e aborda as novidades da pesquisa, como o uso de técnicas de machine learning, computação em nuvem e mineração de dados para os sensores por meio de redes sociais, como o Twitter. Além disso, os especialistas contam o processo de aplicação desses recursos em São Paulo e também em Santa Catarina, e explicam quais são seus benefícios para a sociedade.

Ficha técnica

Reportagem e apresentação: Laura Alegre

Edição de Áudio e Sonorização: Beatriz Juska

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •