Momento Odontologia #100: Avanço da ciência deve impactar na prevenção e tratamento da cárie

Cárie é uma das doenças mais estudadas na odontologia e o desenvolvimento da tecnologia tem contribuído para desvendar os fatores que levam ao desequilíbrio do ambiente da cavidade bucal, responsável pelas lesões formadas nos dentes

Jornal da USP
Jornal da USP
Momento Odontologia #100: Avanço da ciência deve impactar na prevenção e tratamento da cárie
/

A cárie é uma doença que atinge boa parte da população brasileira e mundial e, mesmo com os avanços da tecnologia, ainda não é possível controlar ou prevenir essa condição somente com a odontologia. É necessário um esforço conjunto entre profissionais e pacientes, que devem manter a higiene bucal em dia. E essa relação entre cárie e ciência é tema do Momento Odontologia desta semana, que recebeu Regina Guenka Pama-Dibb, professora da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) da USP e especialista em prevenção e diagnóstico de cárie.

O que é a cárie?

A cárie é uma doença complexa e mediada por bactérias, com diversos fatores que contribuem para o seu desenvolvimento, como, por exemplo, o ambiente em que o paciente vive, sua alimentação e até mesmo uma predisposição. Mas um consumo elevado de açúcar somado à má higiene bucal são os principais vilões para o seu aparecimento, inclusive, em uma forma mais agravada. Uma das principais características da cárie é a presença de dor. Mas especialistas alertam que, em muitos casos, o paciente não sente dor e acaba não procurando um especialista.

Desenvolvimento da odontologia 

Conta a professora que a cárie é uma das doenças mais estudadas na odontologia, o que já permite que os profissionais compreendam melhor os fatores que levam ao desequilíbrio na cavidade bucal, responsável pelas lesões formadas nos dentes dos pacientes. Segundo Regina, o forte avanço da ciência fez com que fossem desenvolvidas várias pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina para controlar ou prevenir a doença, “mas ainda sem muito sucesso”, lamenta.

Mas apenas estudos e o avanço da ciência não são capazes de evitar que a doença se desenvolva. A professora ressalta que é importante contar com a contribuição do paciente, que precisa ter uma boa higiene bucal, uma dieta balanceada e sem consumo excessivo de açúcar. “O paciente é o principal responsável pelo controle e prevenção da cárie.”

O uso do temido “motorzinho” e do famoso cimento para restaurar um dente também foram temas da conversa, que ainda discutiu o número elevado de desdentados no Brasil – por conta da alta desigualdade social no País – e a presença da engenharia genética na odontologia, que tem desenvolvido pesquisas para regenerar tecidos perdidos e restaurar suas funções. 

Produção: Rosemeire Talamone
Apresentação: Robert Siqueira
CoProdução: Alexandra Mussolino de Queiroz (FORP), Letícia Acquaviva (FO), Paula Marques e Tiago Rodella (FOB)
Edição: Rádio USP Ribeirão
E-mail: ouvinte@usp.br
Horário: segunda-feira, às 8h05
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS  
Veja todos os episódios do Momento Odontologia
 
 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.