Momento Cidade #37: Como São Paulo transformou a cultura do funk?

Nesta edição, a entrevistada é Laíza Santana Oliveira, autora da dissertação de mestrado “SP 130 bpm: materialidade e gênero na cultura funk paulista”, defendida na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP

Por
Jornal da USP
Momento Cidade #37: Como São Paulo transformou a cultura do funk?
/

Para entender como a música produzida em São Paulo influenciou a cultura do funk no Brasil, o Momento Cidade desta semana entrevista Laíza Santana Oliveira. A historiadora é autora de uma dissertação de mestrado que teve como objetivo analisar o funk sob a perspectiva do gênero e da materialidade.

Defendido na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e orientado pela professora Vânia Carvalho, o estudo se baseou na análise de matérias e reportagens sobre a indústria do funk, além de letras, videoclipes e documentários produzidos pelos MCs desde a chegada do estilo musical no Estado de São Paulo, em 1995.

De acordo com Laíza, o funk paulista é peça fundamental para se entender uma das faces mais importantes do gênero: o funk ostentação. “Um subprefeito da época, o Renato Barreiros, tinha essa intenção de tornar o funk uma expressão artística legitimada pelo poder público e criou um festival de cultura. Mas, para participar, os MCs não poderiam cantar sobre temáticas que eram de certo modo malvistas pela sociedade, que se ligavam à criminalidade ou à exaltação sexual da mulher.” E, a partir disso, surgiram as letras de músicas que cantavam sobre objetos de valor, como os óculos Juliet, as bebidas importadas e as roupas de marca. Ainda de acordo com a historiadora, essas letras refletiram as mudanças econômicas da época, já que, durante a primeira década dos anos 2000, milhões de brasileiros tiveram a renda incrementada e, assim, acesso a um novo padrão de consumo.

A dissertação completa pode ser acessada neste link.

Ouça o podcast na íntegra no player acima. Siga no Spotify, no Apple Podcasts ou seu aplicativo de podcast favorito.

Ficha técnica

Reportagem: Giovanna Stael
Produção: Denis Pacheco
Edição: Beatriz Juska e Guilherme Fiorentini


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.