Minuto Saúde Mental #58: Número de pessoas com transtornos mentais sem tratamento ou inferior ao ideal se repete em muitos países

Uma nova regulamentação da Agência Nacional de Saúde (ANS), que começou a valer neste dia 1º de agosto, pode ajudar a mudar o cenário

Minuto Saúde Mental
Minuto Saúde Mental
Minuto Saúde Mental #58: Número de pessoas com transtornos mentais sem tratamento ou inferior ao ideal se repete em muitos países
/

O atendimento de planos de saúde de pessoas com transtornos mentais é o tema do podcast Minuto Saúde Mental desta semana, com o professor João Paulo Machado de Sousa. Informa o professor que, na segunda semana de julho deste ano, a versão on-line do conhecido jornal britânico The Guardian trouxe a notícia de que pessoas com depressão estão, para usar o termo do próprio artigo, estagnadas dentro do sistema de saúde do Reino Unido. O artigo explica que, embora parte significativa das pessoas que sofrem de depressão tenha acesso a atendimento primário, poucas chegam a receber tratamento por especialistas, ou seja, o acompanhamento recomendado pela ciência que combina medicação e acompanhamento psicológico para tratar a depressão.

O dado de que pessoas que sofrem de transtornos mentais permanecem sem tratamento ou com tratamento inferior ao ideal se repete em muitos países, inclusive no Brasil. No entanto, uma nova regulamentação da Agência Nacional de Saúde (ANS) brasileira que começou a valer neste dia 1º de agosto pode ajudar a mudar alguma coisa neste cenário.

Já faz algum tempo que as sessões com psicólogos, terapeutas ocupacionais e alguns outros profissionais passaram a ser cobertas pelos planos de saúde particulares, mas estes tratamentos estavam sujeitos a algumas limitações importantes. No caso da psicoterapia, por exemplo, os planos cobriam tratamentos indicados por um médico afiliado e que envolvessem um mínimo de 12 e um máximo de 40 sessões por ano, de acordo com o diagnóstico do paciente. A partir de agora, não há mais limite para o número de sessões a serem realizadas por psicólogos, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos, mas permanece a necessidade do diagnóstico e indicação de um médico.

Esta medida deverá ter impacto sobre os custos dos planos de saúde para o consumidor final, mas, do ponto de vista de pesquisadores e profissionais, é o caminho certo para que haja um impacto positivo maior ainda para um grande número de pessoas que seguem sem tratamento ou com tratamentos insuficientes para suas necessidades específicas.


Minuto Saúde Mental
Apresentação: João Paulo Machado de Sousa
Produção: João Paulo Machado de Sousa e Jaime Hallak
Coprodução e edição: Rádio USP Ribeirão
Coordenação: Rosemeire Talamone
Apoio: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Medicina Translacional, iniciativa CNPq e Fapesp

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.