Minuto Saúde Mental #52: Tratamento da depressão durante a gravidez exige avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios

O tratamento para depressão baseado em evidências científicas é sempre importante para o transtorno não se agravar e trazer ainda mais prejuízos para o paciente

Jornal da USP
Jornal da USP
Minuto Saúde Mental #52: Tratamento da depressão durante a gravidez exige avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios
/

No podcast Minuto Saúde Mental desta semana, o professor João Paulo Machado de Sousa responde sobre tratamento para depressão durante a gravidez. Segundo o professor, os tratamentos para depressão baseados em evidências científicas são sempre importantes para que o transtorno não se agrave e traga ainda mais prejuízos para o paciente. “Isso é ainda mais verdadeiro quando uma mulher está prestes a se tornar mãe, já que este é um daqueles períodos que envolvem muitas mudanças físicas, psicológicas e na vida como um todo. No entanto, é importante que alguns pontos sejam considerados com bastante cuidado e sempre com ajuda adequada.”

O tratamento da depressão, diz Sousa, é feito basicamente com remédios e psicoterapia e, embora exija alguns cuidados, o tratamento medicamentoso pode, sim, ser recomendado durante a gravidez. “Se você toma um remédio antidepressivo, pode ser necessário fazer mudanças na dose e até no tipo de remédio que você está tomando. As pesquisas mostram que a maioria dos antidepressivos mais utilizados hoje em dia não causa problemas para a mãe ou para o bebê durante e após a gravidez. Apesar deste dado, há estudos que mostram associações entre o uso de antidepressivos e mudanças de peso e parto prematuro.”

O professor esclarece que antidepressivos menos comuns ou mais antigos, como os antidepressivos chamados tricíclicos e a bupropiona podem causar aborto ou defeitos no feto, como problemas cardíacos congênitos e, portanto, seu uso deve ser considerado com muita cautela durante a gravidez. “É importante falar aqui de um outro dado que não está diretamente relacionado ao uso de medicações: pesquisas na área da psicologia mostram que mães deprimidas tendem a ter mais dificuldade para cuidar e se vincular aos seus filhos após o nascimento e que estas crianças, por sua vez, têm maior probabilidade de desenvolver depressão e outros transtornos ao longo da vida.” 

Para finalizar diz que o tratamento da depressão durante a gravidez, embora exija uma avaliação cuidadosa dos riscos e benefícios, não só é possível como pode ser seguro e importante para que a maternidade tenha início dentro das melhores condições para todos os envolvidos.


Minuto Saúde Mental
Apresentação: João Paulo Machado de Sousa
Produção: João Paulo Machado de Sousa e Jaime Hallak
Coprodução e edição: Rádio USP Ribeirão
Coordenação: Rosemeire Talamone
Apoio: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Medicina Translacional, iniciativa CNPq e Fapesp

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.