Fake News Não Pod #10: As vacinas possuem efeitos colaterais?

Antes da aprovação de qualquer vacina, a chance de evento adverso é observada em um grande número de pessoas durante os ensaios clínicos conduzidos e a vacina somente é aprovada quando os resultados demonstram sua eficácia, qualidade e segurança

Jornal da USP
Fake News Não Pod #10: As vacinas possuem efeitos colaterais?
/

Com a recente aprovação de vacinas contra a covid-19, muitas dúvidas válidas sobre sua segurança permeiam as redes sociais, mas muitas dessas dúvidas estão associadas a fake news e conspirações. Por isso, o assunto desta semana do podcast Fake News Não Pod é sobre a segurança das vacinas.  

As vacinas, como qualquer outro agente imunobiológico ou medicamento, causam efeitos colaterais ou eventos adversos. No entanto, em geral, são leves, como inchaço e dor no local de aplicação, e os eventos adversos graves acometem somente uma minoria dos pacientes, especialmente os alérgicos a algum componente da vacina, como a ovoalbumina. Mesmo que existam casos relatados de vacinas anteriores que evoluíram para alguma gravidade, a chance disso ocorrer é na ordem de um em 1 milhão e o risco é totalmente compensado pelos benefícios obtidos com a vacina. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 3 milhões de pessoas são salvas por ano devido às vacinas!

Porém, ao contrário do que dizem as teorias da conspiração, ninguém esconde isso: em toda bula, esses eventos adversos são descritos detalhadamente, com suas respectivas probabilidades de ocorrência. Antes da aprovação de qualquer vacina, essa chance de evento adverso é observada em um grande número de pessoas durante os ensaios clínicos conduzidos e a vacina somente é aprovada quando os resultados demonstram sua eficácia, qualidade e segurança.

Além disso, existem diversos protocolos rígidos para que, caso uma vacina apresente algum problema generalizado após sua comercialização, ela seja retirada imediatamente do mercado. Inclusive, temos aparatos de órgãos regulatórios, como o Sistema Nacional de Vigilância dos Eventos Adversos Pós-Vacinação, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia de forma rigorosa os casos de pacientes que relataram algum evento adverso pós-vacinação para estabelecer uma ligação concreta de causa e efeito entre a vacina e o evento adverso. Uma infecção anterior à aplicação da vacina ou o simples medo de injeções podem levar a conclusões equivocadas. 

Não acredite em qualquer notícia ou relato sem que tenham sido checados. Enfrentamos uma crise de saúde pública mundial que somente pode ser resolvida com a ampla imunização da população. Vacine-se!


Fake News não Pod
Produção: Vydia Academics, Pretty Much Science (PMScience),
Projeto: João Fake News (bit.ly/JoaoFakeNews).
Roteirista e apresentadora: Laura Colete Cunha
Edição: Rádio USP Ribeirão Preto
Coordenação geral: Rosemeire Talamone e Cinderela Caldeira 

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.