Fake New não Pod #36: Ganhador do Nobel de Medicina de 2015 não afirmou que a ivermectina é a cura para a covid-19

Não há evidências científicas suficientes que justifiquem o uso da ivermectina no tratamento da covid-19 e o seu uso indiscriminado pode ser prejudicial à saúde

Jornal da USP
Jornal da USP
Fake New não Pod #36: Ganhador do Nobel de Medicina de 2015 não afirmou que a ivermectina é a cura para a covid-19
/

Circula nas redes sociais um post afirmando que o nobel William Campbell disse que a ivermectina era a cura para a covid-19. O podcast Fake News não Pod apurou que essa afirmação nunca foi feita pelo Nobel, tratando-se de uma fake news. 

De fato, Campbell ganhou o Nobel de Medicina em 2015 pelo descobrimento da ivermectina, contribuindo para o desenvolvimento de uma terapia relevante contra vermes parasitas. Em 2020 Campbell chegou a afirmar que as chances da ivermectina ter ação contra o vírus da covid 19 devem ser consideradas baixas.

Ainda não há evidências científicas suficientes que justifiquem o uso da ivermectina no tratamento da covid-19, e o seu uso indiscriminado pode ser na realidade prejudicial à saúde. O uso de altas doses de ivermectina pode ocasionar doenças hepáticas, como a hepatite medicamentosa, além de complicações intestinais, como diarreia e vômito, e problemas relacionados a disfunções no sistema nervoso central, como tonturas, tremor e sono profundo.

Busque informações em fontes confiáveis, não deixe de se vacinar.


Fake News não Pod
Produção: Vydia Academics, Pretty Much Science (PMScience),
Projeto: João Fake News (bit.ly/JoaoFakeNews).
Roteirista e apresentadora: Laura Colete Cunha
Coprodução e Edição: Rádio USP Ribeirão Preto

 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.