Destaque do Ciência USP #33: Como solucionar um problema de xadrez com mais de 150 anos?

Neste episódio, conversamos com o matemático Yoshiharu Kohayakawa, professor do Instituto de Matemática e Estatística da USP, que explica como um pesquisador de Harvard pode ter solucionado o famoso Problema das N Rainhas

Por
Ciência USP
Ciência USP
Destaque do Ciência USP #33: Como solucionar um problema de xadrez com mais de 150 anos?
/

Em um artigo publicado na The Harvard Gazette, o pesquisador e matemático Michael Simkin, do Centro de Aplicações e Ciências Matemáticas, chegou à resposta de um clássico problema de xadrez que já durava mais de 150 anos.

O xadrez é um dos jogos mais antigos da história da humanidade, com aproximadamente 1.500 anos de existência. Atualmente, ele é um dos jogos de tabuleiro com maior número de adeptos do mundo e, graças às suas mecânicas de jogo, chama a atenção de muitos pesquisadores das áreas de matemática e computação. Com tantas possibilidades de partidas e posicionamentos de peças, muitas pessoas passaram a se dedicar para alcançar a resolução de problemas específicos; um dos principais é o chamado Problema das N Rainhas.

Para explicar o que é esse problema e como Simkin chegou à solução, conversamos com o matemático Yoshiharu Kohayakawa, professor e pesquisador do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP.

Ouça o podcast na íntegra no player acima. Siga no Spotify, no Apple Podcasts ou seu aplicativo de podcast favorito.

Ficha técnica

Reportagem e Narração: Caio César Pereira e Gabriele Koga
Produção: Denis Pacheco
Edição de som e Composição Musical: Angélica Peixoto, André Leite e Tabita Said, com supervisão de Guilherme Fiorentini


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.