Destaque do Ciência USP #21: Como mapear nosso genoma ajuda a contar a história humana?

Neste episódio conversamos com Tábita Hünemeier, professora do Instituto de Biociências da USP, que explica como funciona o mapeamento de genomas antigos

Por
Jornal da USP
Jornal da USP
Destaque do Ciência USP #21: Como mapear nosso genoma ajuda a contar a história humana?
/

Em um artigo publicado na revista Nature no primeiro semestre deste ano, pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, revisaram um estudo de dez anos atrás que analisou o genoma humano antigo.

O trabalho investigou fios de cabelo com mais de 4 mil anos de idade. Os fios estavam congelados e presos a um pente de osso de baleia, que foi encontrado nos anos 80 na Groenlândia, mas sua reconstrução genética só foi realizada a partir de 2010. Essa foi a primeira reconstrução de um genoma antigo. 

Para explicar como essa pesquisa foi realizada, conversamos com Tábita Hünemeier, professora do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências (IB) da USP.

Ouça o podcast na íntegra no player acima. Siga no Spotify, no Apple Podcasts ou seu aplicativo de podcast favorito.

Ficha técnica
Reportagem e Narração: Karina Tarasiuk
Produção: Denis Pacheco
Edição de Som e Composição Musical: André Leite e Guilherme Calaça, com supervisão de Guilherme Fiorentini


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.