Ciência USP #16: Sua cidade 2°C mais quente

Clima, Amazônia e as cidades do futuro. Um estudo estimou como serão os climas de 520 grandes cidades se a temperatura média do planeta subir 2°C até 2050 e traz projeções preocupantes.

Por - Editorias: - URL Curta: jornal.usp.br/?p=268293
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ciência USP #16: Sua cidade 2°C mais quente
Ciência USP

 
 
00:00 / 21:53
 
1X
 

“É muito difícil para a grande maioria das pessoas imaginar o que significa aumentar a temperatura média do globo inteiro em 2°C”, diz Henrique Barbosa, cientista do clima e professor do Instituto de Física da USP. Dois graus podem não parecer grande coisa, mas quando eles representam uma média global, a conta não é tão simples quanto parece.

Neste episódio de Ciência USP, Barbosa comenta os resultados de um estudo suíço que estimou como poderá ser o clima em 2050 em um conjunto de mais de 500 grandes cidades no mundo. A grande sacada do estudo foi comparar essas projeções com o clima das cidades do presente. Assim, eles podem dizer, por exemplo, que São Paulo poderá ter um clima similar ao que hoje é típico de Miami. E também podem fazer o alerta: um grande número de cidades terá de conviver com climas que hoje não existem em nenhum lugar do mundo.

As estimativas, que podem ser consultadas nessa visualização, foram feitas com um modelo considerado otimista pelos cientistas do clima. Mesmo assim, implicam uma série de problemas para as populações urbanas, incluindo ondas de calor, mais problemas de saúde, secas e enchentes.

Conversamos também com Nabil Bonduki, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, sobre algumas políticas públicas que as cidades podem adotar para mitigar os efeitos da mudança climática – ou, pelo menos, adaptar-se a eles.

Ainda neste episódio…

Uma pesquisa realizada na Amazônia indica que pastagens malcuidadas aumentam as emissões de metano, um dos principais gases do efeito estufa. Segundo esse pesquisador do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da USP, em Piracicaba, entre 60% a 80% das áreas desmatadas na Amazônia são utilizadas como pastos e metade deles estão degradados em algum nível.

Ficha técnica

Apresentação: Silvana Salles
Produção: Fabiana Mariz, Silvana Salles e Caio Santana
Edição de som: Rafael Simões e Beatriz Juska

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •