USP recebe visita de comitiva alemã para discutir cooperação internacional

Objetivo foi discutir novas possibilidades de cooperação acadêmica entre o Brasil e a Alemanha

 Publicado: 18/11/2022  Atualizado: 21/11/2022 as 16:29
Por
Parte da equipe de gestão da USP (à esquerda) e a comitiva alemã (à direita) participaram de uma reunião com o reitor Carlos Gilberto Carlotti Jr. (ao centro) – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A USP recebeu, no último dia 17 de novembro, a visita do secretário parlamentar do Ministério Federal de Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF), Jens Brandenburg. O secretário, que estava acompanhado de uma comitiva do governo alemão, visitou a Reitoria para discutir novas possibilidades de cooperação acadêmica entre Brasil e Alemanha.

“A USP é a mais importante instituição de ensino superior da América Latina. Temos uma parceria de muitos anos e acreditamos que, além de recursos financeiros, podemos colaborar com outros tipos de apoio”, afirmou Brandenburg.

Para o reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior, “a colaboração da USP com instituições alemãs é forte e constante, mas acreditamos que há espaço para aproveitar muitas oportunidades e ampliar essa parceria, tanto com o governo da Alemanha quanto com suas instituições”.

O diretor adjunto da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Sérgio Muniz Oliva Filho, falou sobre a colaboração entre a USP e diversas instituições alemãs, em todas as áreas do conhecimento, tanto em projetos de inovação quanto no desenvolvimento da ciência básica.

O diretor adjunto da Aucani, Sérgio Muniz Oliva Filho (ao centro), falou sobre a colaboração entre a USP e instituições da Alemanha – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Em seguida, foram apresentados três dos principais projetos desenvolvidos pela Universidade em parceria com instituições alemãs. Os professores do Instituto de Física da USP, Paulo Artaxo e Luiz Augusto Toledo Machado, e o pesquisador do Instituto Max Planck de Química, Stefan Wolff, apresentaram o projeto ATTO – o Observatório da Torre Alta da Amazônia –, uma torre de 325 metros de altura, no meio da floresta amazônica, destinada a registrar continuamente dados meteorológicos, químicos e biológicos, como a concentração de gases de efeito estufa.

O professor da Faculdade de Direito da USP, Samuel Rodrigues Barbosa, e o professor da Universidade de Colônia, Peter W. Schulze, falaram sobre o Instituto de Estudos Avançados Maria Sibylla Merian (Mecila), um dos cinco centros internacionais de estudos avançados em ciências humanas e sociais financiado pelo BMBF, em cooperação com instituições e agências de financiamento locais, e do qual a USP faz parte.

A pesquisadora do Instituto de Estudos Avançados (IEA), Ana Paula Koury, falou sobre o Klimapolis Laboratory – um projeto conjunto do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP e do Instituto Max Planck de Meteorologia, para o desenvolvimento de pesquisas sobre clima urbano, poluição da água e do ar, modelagem, planejamento, monitoramento e aprendizagem social.

Acompanhando o secretário alemão estavam o subdiretor de Departamento de Cooperação Internacional em Educação e Pesquisa, Frithjof Maennel; a chefe de Divisão para a Cooperação com a América do Norte e do Sul, Vivien Baganz; o ministro conselheiro para Assuntos Científicos da Embaixada da Alemanha em Brasília, Christian Stertz; o cônsul para Cultura e Ciência do Consulado-Geral da Alemanha em São Paulo, Johannes Wahner; e o representante da Agência de Gestão de Projetos DLR, Matthias Frattini.

Também estavam presentes na reunião diversos dirigentes e pesquisadores da Universidade, como o pró-reitor de Graduação, Aluisio Augusto Cotrim Segurado; o pró-reitor adjunto de Pós-Graduação, Niels Olsen Saraiva Câmara; o pró-reitor adjunto de Inovação, Raúl Gonzales Lima; e o coordenador do Centro de Inovação da USP, Marcelo Knorich Zuffo.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.