USP lança cátedra ligada à área de educação básica

Iniciativa é uma parceria do Instituto de Estudos Avançados (IEA) e do Itaú Social para fomentar políticas públicas na área

 22/02/2019 - Publicado há 3 anos  Atualizado: 10/12/2019 as 15:27
Por
(Da esq.p/dir.) O diretor do Instituto de Estudos Avançados, Paulo Saldiva; o reitor Vahan Agopyan; a superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann, e o coordenador da Cátedra, Nilson José Machado – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Uma cerimônia realizada nas dependências do Museu de Arte Contemporânea, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, marcou o lançamento da Cátedra de Educação Básica da USP, uma iniciativa do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP e do Itaú Social.

A Cátedra, que surgiu a partir dos trabalhos e reflexões do Grupo de Estudos Educação Básica Pública Brasileira: Dificuldades Aparentes, Desafios Reais, será coordenada pelo professor da Faculdade de Educação (FE), Nilson José Machado. A instância também conta com um Conselho Consultivo, formado por docentes ligados ao IEA e representantes do Itaú Social.

O objetivo principal da Cátedra será identificar medidas que subsidiem políticas para o ensino básico a partir da análise de experiências inovadoras e de ações relacionadas à formação e ao desenvolvimento profissional de professores.

O Itaú Social destinou verba de R$ 5 milhões para as atividades da cátedra, dividida em aportes anuais de R$ 1 milhão. O montante irá subsidiar as atividades durante os cinco anos de duração do convênio.

O diretor do IEA, Paulo Saldiva, deu as boas-vindas aos presentes e falou sobre o documento elaborado pelo grupo “Diagnósticos e Propostas para a Educação Básica Brasileira”, que serve de base para o trabalho a ser desenvolvido pela Cátedra. “Esses problemas devem ser combatidos à luz do conhecimento e do idealismo. A Universidade deve fazer parte do pacote de soluções do país. Isso está no DNA da USP, em seu decreto de fundação”, destacou.

O coordenador da Cátedra, Nilson José Machado, afirmou que a proposta “não é produzir um efeito na educação brasileira em 40 ou 50 anos. Queremos ver resultados em quatro ou cinco anos. O principal problema da educação brasileira é a falta de um projeto. Se tivéssemos um projeto para a educação, até a falta de recursos seria mais fácil de administrar”, destacou.

A superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann, ressaltou o caráter estratégico da parceria com o IEA. “A união entre pesquisadores e os profissionais que estão no dia a dia de escolas e redes educacionais tem, em si, uma potência transformadora”, disse. A expectativa, segundo Angela, é que, ao longo dos cinco anos de duração da Cátedra, haja “um acúmulo de produção de conhecimento, de práticas inovadoras e de formações que promovam avanços significativos” nas propostas para a educação básica.

Para o reitor da USP, Vahan Agopyan, “as cátedras na USP têm um papel muito importante. São locus de discussão, de debates, multidisciplinares, com visões diferentes. A universidade não tem a finalidade de resolver todos os problemas, mas ela tem a obrigação de ajudar, de recomendar soluções”.

Professores que compõem a Cátedra de Educação Básica e representantes do Conselho Consultivo – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Ciclo de seminários

A primeira atividade da Cátedra em 2019 será a promoção do ciclo “Ação e Formação do Professor”, que promoverá, em três sábados nos meses de março, abril e maio, três seminários, com especialistas no setor, voltados para a discussão da fragmentação que afeta a organização da escola básica no Brasil.

Os seminários possibilitarão, também, a sistematização de informações fundamentadas sobre experiências pontuais e políticas educacionais nos três níveis de governo. A participação de cada expositor nos seminários resultará em um vídeo de 15 minutos e um texto.

O primeiro seminário do ciclo será realizado no dia 16 de março e terá como tema “Professor: Profissionalismo e Competência”. O segundo, no dia 13 de abril, discutirá a questão do planejamento e da avaliação como elementos integradores. “Formação do Professor: Experiências Inovadoras” será o assunto abordado na terceira edição do evento, no dia 18 de maio.

Os seminários serão realizados das 9h às 18h, no Auditório do IEA (Rua da Biblioteca, 128, térreo, na Cidade Universitária, em São Paulo). São oferecidas 120 vagas e as inscrições podem ser feitas neste link. A participação é gratuita e haverá certificação para quem comparecer a todos os encontros.

No segundo semestre, a cátedra deve levar seus especialistas a campo, para conhecer de perto as experiências mais exitosas na educação básica. Com as informações colhidas, eles retornarão à USP para continuar a pesquisa.

Assista, a seguir, ao vídeo produzido pela TV USP a respeito do relatório elaborado pelo grupo de trabalho, que resultou na criação da Cátedra.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.