USP ganha espaço de acesso a dados protegidos do Inep

Nova sala, equipada com recursos de segurança e controle, permite que pesquisadores utilizem um dos maiores e mais confiáveis bancos de dados sobre educação no Brasil

 Publicado: 02/07/2024     Atualizado: 05/07/2024 as 8:26
Por
(Da esq. p/ dir.) Maria Teresa Gonzaga Alves, Manuel Palacios, Maria Dolores Montoya Diaz e Carlos Gilberto Carlotti Junior na inauguração do novo espaço, localizado na Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da USP – Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Foi inaugurada, no último dia 2 de julho, na Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária (FEA) da USP, o Núcleo Inep/Sedap-FEA USP, um novo Núcleo de Serviço de Acesso a Dados Protegidos (Sedap), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Trata-se de uma sala remota e segura que permite o acesso controlado a grandes bases de dados a respeito da educação brasileira produzidas pelo Inep. O espaço recém-inaugurado é o primeiro do gênero na USP e o terceiro fora da sede da instituição, que fica em Brasília.  

Na cerimônia de inauguração, o reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior explicou como a USP poderá utilizar a nova ferramenta para atingir objetivos institucionais: “Precisamos tomar decisões a partir de dados para poder entender os fatos e atingir nosso propósito de qualificar o nosso ensino público. A Universidade não pode estar separada da escola pública e precisa fazer parte do processo de melhoria. Agora vamos ter mais dados para isso, sabendo exatamente quais deficiências devemos priorizar. Também teremos melhores condições de mensurar de forma muito mais objetiva qual o impacto que a Universidade tem na vida das pessoas e nas sociedades paulista e brasileira, cruzando esses microdados com outros a que já temos acesso, como aqueles fornecidos pela Receita Federal e pela Junta Comercial”. 

+ Mais

USP inaugura sala remota com dados protegidos sobre a educação brasileira

O presidente do Inep, Manuel Fernando Palacios da Cunha e Melo, destacou a procura que tem havido por parte dos pesquisadores: “Esta é a terceira sala que estamos abrindo fora da nossa sede e, em todas elas, a demanda tem sido altíssima, com filas que não esperávamos, o que só confirma a utilidade e a importância desse tipo de iniciativa. É muito relevante essa percepção por parte de outras áreas de pesquisa de quão rica é a base do Inep. São décadas de dados acumulados, que podem ser coordenados com outras bases e ter um alcance muito significativo, possibilitando trabalhar muito além da educação. É sempre importante incentivar os pesquisadores a atuar de forma mais permanente e regular com bases de dados. Esta relação, às vezes, ainda é um assunto pouco explorado, e o esforço de incorporação da tradição quantitativa na área da Educação é muito bem-vindo, assim como o uso dessas informações em pesquisas de outras áreas”. 

Para o pró-reitor de Pesquisa e Inovação da USP, Paulo Nussenzveig, “essa sala vai nos dar grandes oportunidades de geração de conhecimento, pois hoje em dia ainda nos faltam dados de qualidade para entender diversas situações, como as trajetórias dos nossos estudantes desde antes da universidade até depois que eles saem. No trabalho que temos feito para melhorar a governança na inovação, uma das coisas que conseguimos foi descobrir o investimento que existe em startups criadas pelos nossos egressos. Mas queremos ir além, e saber a trajetória dessas pessoas até ingressar aqui, o que eles fazem durante o curso e qual o caminho posterior. E essa sala vai ser extremamente importante para a gente entender esse enraizamento da nossa comunidade com o restante da sociedade”. 

A diretora da FEA, Maria Dolores Montoya Diaz, lembrou que a sala é aberta a todos os pesquisadores da USP, e não apenas aos daquela Faculdade: “Esta é uma iniciativa que certamente trará grandes benefícios para nossa comunidade acadêmica e para toda a sociedade. Utilizo microdados do Inep há mais de 20 anos e reconheço a importância e o impacto dessa medida para a democratização do acesso e a melhoria da qualidade dos trabalhos de formulação e avaliação de políticas públicas na área de educação e nas suas intersecções, como o mercado de trabalho e a saúde, entre outros”.  

Nova sala conta com sistema de acesso direto e controlado às bases de dados do Inep, que podem ser consultadas mediante aprovação de projeto de pesquisa – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O evento contou com a presença de diversas autoridades acadêmicas, entre elas, o pró-reitor de Graduação, Aluísio Segurado; o pró-reitor adjunto de Pós-Graduação, Adenilso Simão; o superintendente de Prevenção e Proteção Universitária, José Antonio Visintin; o presidente da Agência de Bibliotecas e Coleções Digitais, Paulo Martins; e o diretor da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, Alexandre Macchione Saes. Representando o Inep, participaram os diretores de Estudos Educacionais, Maria Teresa Gonzaga Alves; de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais, Fernando Szimanski; e o coordenador-geral de Disseminação de Informações, Augusto Marques de Castro Oliveira.

Os interessados em utilizar o novo espaço e acessar os bancos de dados para suas pesquisas devem fazer uma solicitação por meio do formulário disponibilizado no site da FEA: http://www.fea.usp.br/pesquisa/sala-sedap-inep. O link também apresenta todas as orientações a respeito de requisitos e normas de segurança. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.