Silvio Salinas é homenageado com título de Cidadão Paulistano

O título foi concedido pela Câmara de Vereadores de São Paulo, em cerimônia realizada na sala do Conselho Universitário

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=288417
Silvio Salinas (no destaque) ingressou na USP em 1965, nos cursos de Física e de Engenharia Elétrica – Foto: Jorge Maruta / USP Imagens

Uma sessão solene da Câmara dos Vereadores, realizada no dia 19 de novembro, na Sala do Conselho Universitário, marcou a outorga do título de Cidadão Paulistano ao professor do Instituto de Física (IF), Silvio Roberto de Azevedo Salinas.

A professora Dina Lida Kinoshita foi a idealizadora da homenagem – Foto: Jorge Maruta / USP Imagens

O título foi concedido por iniciativa dos vereadores Claudio Fonseca e Soninha Francine. A idealizadora da homenagem foi a professora aposentada do IF e membro da Cátedra Unesco de Educação para a Paz, Direitos Humanos, Democracia e Tolerância do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, Dina Lida Kinoshita.

“A Câmara de Vereadores faz, com grande satisfação e em bom termo, o deslocamento para a Universidade para homenagear uma pessoa honrosa, que orgulha nossa cidade”, destacou o vereador Claudio Fonseca.

Salinas nasceu em Araraquara e ingressou na USP em 1965, no curso de Física da então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), e em Engenharia Elétrica, na Escola Politécnica (Poli). Foi assistente do ex-reitor José Goldemberg na cadeira de Física Geral da Poli. Entre 1969 e 1973 foi aluno de pós-graduação da Universidade Carnegie-Mellon, em Pittsburgh, nos Estados Unidos. Voltou para a USP no início de 1974. Obteve a livre-docência em 1977 e foi promovido a professor titular em 1985. Foi diretor do IF entre 1998 e 2002. Atualmente, Salinas, que se aposentou em 2012, atua no Instituto como professor sênior.

+ Mais

Silvio Salinas, Cidadão Paulistano

“Conheci o professor Salinas há 50 anos, quando houve a reforma universitária, em 1969, e foi decidido, então, que os Departamentos de Física que estavam distribuídos pelas unidades da Universidade seriam englobados em um novo instituto, o Instituto de Física. A contratação de Salinas, junto com vários outros colegas, tinha um significado importante. O ensino de física na Universidade passou a ser feito não apenas por profissionais de ensino, mas também por pesquisadores. É uma modificação qualitativa que ocorreu entre 1969 e 1970”, contou José Goldemberg, na cerimônia.

(Da esq. p/ dir.) O professor Silvio Salinas e os vereadores Claudio Fonseca e Soninha Francine – Foto: Jorge Maruta / USP Imagens

“Ninguém encarna melhor essa transformação da Universidade do que Salinas, porque ele era um pesquisador atuante em uma área que não era popular na época, estado sólido de materiais, e com uma característica que é fundamental do ser humano: é uma pessoa corajosa e equilibrada”, continuou.

O reitor da USP, Vahan Agopyan, ressaltou a dedicação de Salinas à Universidade. “Ele é um homem muito corajoso, que jamais declinou de seus ideais. Como professor, foi dedicado e lutou para disseminar o conhecimento, inclusive se irritando com algumas posturas não condizentes com a Universidade que alguns grupos internos assumiram em um passado recente. Foi uma pessoa que lutou pela autonomia da Universidade”, considerou.

Em seu discurso, que marcou o encerramento da cerimônia, o homenageado falou sobre sua trajetória na USP. “A minha atuação na Universidade sempre teve um viés político, desde a época estudantil. Essa atuação política, no entanto, foi essencialmente acadêmica, defendendo valores estritamente acadêmicos”, afirmou Salinas.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.