Shigueo Watanabe é o novo professor emérito do Instituto de Física

Aos 95 anos, o docente aposentado do Departamento de Física Nuclear continua suas pesquisas

 26/04/2019 - Publicado há 3 anos  Atualizado: 03/05/2019 as 15:55
Por
A cerimônia de outorga do título foi realizada no Auditório Abrahão de Moraes e contou com a presença de dirigentes, pesquisadores, funcionários, alunos, amigos e familiares do homenageado – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

No dia 25 de abril, o Instituto de Física (IF) outorgou o título de Professor Emérito a Shigueo Watanabe, docente aposentado do Departamento de Física Nuclear.

Representando o reitor Vahan Agopyan, o pró-reitor de Pesquisa e professor do Departamento de Física Geral do Instituto, Sylvio Roberto Accioly Canuto, enfatizou que “Shigueo Watanabe é um exemplo de educador e pesquisador que dedicou uma vida inteira à Universidade, contribuindo imensamente para o engrandecimento da USP”.

O diretor do IF, Marcos Nogueira Martins, fez a saudação ao Professor Emérito e lembrou que, além de uma respeitada carreira de pesquisador e professor da USP, Watanabe sempre mostrou preocupação em garantir que estudantes de baixa renda pudessem desenvolver seus estudos sem precisar trabalhar.

Essa preocupação se transformou em um programa de bolsas de estudo para estudantes carentes que conquistassem medalhas de ouro nas olimpíadas de matemática do Estado de São Paulo, organizadas durante sua gestão como diretor executivo da Academia de Ciências do Estado de São Paulo.

“Essa mistura feliz de conhecimento, talento, capacidade de trabalho, preocupação social e perseverança, que é materializada no professor Shigueo, em muito ajudou o Instituto de Física tanto no seu desenvolvimento quanto no seu reconhecimento fora da Academia. A homenagem que prestamos hoje é um pequeno agradecimento por sua dedicação e força, que nos engrandecem”, afirmou Martins.

[A partir da esquerda] O pró-reitor de Pesquisa, Sylvio Roberto Accioly Canuto; o Professor Emérito Shigueo Watanabe; a chefe do Departamento de Física Nuclear, Elisabeth Mateus Yoshimura; e o diretor do Instituto de Física, Marcos Nogueira Martins – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

Primeiro nikkei do Departamento de Física

Nascido em 1924, na cidade de Araçatuba, interior paulista, Shigueo Watanabe ingressou na Universidade em 1952, sendo o primeiro descendente de japoneses a se tornar professor do Departamento de Física da então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras.

“Eu me preparava para o exame de medicina ou odontologia e, quando contei para o meu pai que tinha passado no vestibular para física ele fez uma cara feia e perguntou como eu iria sobreviver. Mas seis anos depois, quando ganhei uma bolsa para fazer o doutorado nos Estados Unidos, ele ficou eufórico”, lembrou Watanabe.

Como pesquisador, seu trabalho sobre como o próton e o nêutron interagem formando o dêuteron, apresentando um potencial diferente dos potenciais individuais, teve grande destaque no meio científico. O potencial proposto para o dêuteron recebeu o nome de Potencial de Watanabe.

Além da sólida carreira de professor e pesquisador, Watanabe exerceu diversos cargos administrativos dentro e fora da USP. Foi chefe de Departamento do IF; diretor executivo da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, de 1976 a 1997; presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisadores Nikkeis e da Associação Brasileira de Físicos na Medicina; conselheiro do CNPq, da Sociedade Brasileira de Física, do Conselho de Curadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e do Conselho de Curadores da Fundação Adib Jatene do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese.

Em 1988, foi condecorado pelo Imperador do Japão com a Comenda Zuihosho Kunsanto – a mais alta honraria concedida a estrangeiros – pelo grande esforço e colaboração para o desenvolvimento das relações culturais e científicas entre o Brasil e o Japão. Também recebeu títulos honoríficos da J. S. Guggenheim Foundation (EUA) e do Nuclear Energy Forum (Japão), e a Ordem Nacional de Mérito Educativo, Grau de Grande Mestre, em 2002.

Aos 95 anos, completados no dia 4 de abril, Watanabe continua em plena atividade, desenvolvendo pesquisas na área de cristais iônicos com ênfase em minerais naturais brasileiros de silicatos, no Laboratório de Cristais Iônicos, Filmes Finos e Datação.

Professor Emérito do Instituto de Física, Shigueo Watanabe – Foto: Cecília Bastos/USP Imagem


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.