Reitoria promove reunião com patrocinadores do Museu do Ipiranga

Participaram do evento representantes das 13 empresas patrocinadoras, que, juntas, investirão R$ 160 milhões no projeto

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=285010
A reunião foi realizada no prédio da Reitoria, em São Paulo – Foto Marcos Santos/USP Imagens

Foi realizada, no dia 5 de novembro, a primeira reunião do Comitê dos Patrocinadores das obras de revitalização e modernização do edifício-monumento do Museu do Ipiranga. O encontro foi realizado no prédio da Reitoria, em São Paulo.

Participaram do evento representantes das 13 empresas patrocinadoras: Banco do Brasil, Banco Safra, Bradesco, Caixa, Caterpillar, Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Cosan, EMS, Honda, Vale, EDP, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e o Instituto Itaú Cultural, que, juntas, investirão R$ 160 milhões no projeto.

Também estiveram presentes o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Sérgio de Sá Leitão; a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen; o reitor da USP, Vahan Agopyan; o vice-reitor Antonio Carlos Hernandes; a diretora do Museu Paulista, Solange Ferraz de Lima, além de outros dirigentes da Universidade e da empresa Concrejato, que é a construtora responsável pelas obras.

“O que podemos oferecer à sociedade com nosso Museu do Ipiranga? Essa é uma questão sobre a qual temos de refletir. Queremos que este seja um museu que nos orgulhe. Para isso, ideias, sugestões e recomendações vindas de vocês são muito importantes”, afirmou o reitor Vahan Agopyan, no início do encontro.

+ Mais

USP anuncia vencedores do concurso de restauro do Museu Paulista

O secretário de Cultura, Sérgio de Sá Leitão, destacou a importância do projeto. “Temos aqui a responsabilidade em termos de rigor, de excelência, de qualidade, da entrega, para afirmar publicamente que também na área da Cultura trabalhamos com altos padrões de exigência, de gestão e de governança”, disse.

Para a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, “esse é um dos projetos prioritários do Governo de São Paulo”.

A diretora do Museu, Solange Ferraz de Lima, falou sobre o papel do museu universitário e sua missão voltada para a formação e a ação educativa baseada em três eixos: o ensino, a pesquisa e a extensão. “O programa expositivo e de atividades culturais e de formação decorre desse trabalho que a Universidade continua desempenhando, mesmo com o fechamento do edifício-monumento”, explicou Solange.

Ao final da reunião, foi definida a criação de três subcomitês para tratar de questões relacionadas à captação de recursos, à comunicação, à sustentabilidade e à inovação.

Novo museu

Área externa do edifício-monumento: proposta do projeto arquitetônico

O Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga, foi inaugurado em 7 de setembro de 1895 como museu de História Natural e marco representativo da Independência, da história do Brasil e paulista. Em 1963, o museu foi integrado à Universidade de São Paulo e tornou-se uma instituição científica, cultural e educacional com atuação no campo da história.

Em 2013, o edifício-monumento foi fechado à visitação. As coleções do acervo e os laboratórios foram transferidos para imóveis alugados e especialmente adaptados para esse fim.

Além da adequação às normativas atuais de infraestrutura, acessibilidade, segurança e sustentabilidade, com a reforma, o edifício será ampliado em quatro mil metros quadrados. A nova área proporcionará a melhoria dos acessos e fluxos, acolhimento do público e novas facilidades, como área de exposições temporárias, auditório, salas para ações educativas, café e loja.

O processo de reforma e ampliação do prédio teve início em outubro, com a mobilização e instalação do canteiro de obras. A previsão é que o novo Museu do Ipiranga seja entregue à população até 2022, ano do bicentenário da Independência do Brasil.

A primeira etapa do processo de restauração e ampliação do Museu já começou, com a instalação do canteiro de obras – Foto: Divulgação

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.