Reitor participa de missão paulista a centros italianos de pesquisa

O dirigente da USP esteve no Centro Internacional de Engenharia Genética e Biotecnologia, no Conselho Nacional de Pesquisa e na Universidade de Roma

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
No Conselho Nacional de Pesquisa, a delegação brasileira foi recebida pelo presidente da entidade, Massimo Ingiuscio (de gravata vermelha) – Foto: Divulgação

No período de 29 de novembro a 4 de dezembro, o reitor Vahan Agopyan participou de encontros com representantes de dois importantes centros de pesquisa italianos, o Centro Internacional de Engenharia Genética e Biotecnologia (ICGEB, na sigla em inglês), localizado na cidade de Trieste, e o Conselho Nacional de Pesquisa (CNR, na sigla em italiano), em Roma.

A missão paulista era formada pelo presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e ex-reitor da USP, Marco Antonio Zago; pelo diretor do Instituto Butantan e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Dimas Tadeu Covas; e pelo presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani), Raul Machado Neto.

Os dirigentes foram recebidos pelo diretor-geral do ICGEB, Mauro Giacca, e pelo presidente do CNR, Massimo Ingiuscio, e tiveram a oportunidade de identificar e discutir futuras iniciativas a serem desenvolvidas pelas Instituições paulistas com as entidades italianas.

O ICGEB é um centro de excelência, treinamento e transferência de tecnologia para indústria no campo da biotecnologia, para promover desenvolvimento sustentável global. O Centro desempenha um papel significativo em questões relacionadas à biossegurança e ao uso ambientalmente sustentável da biotecnologia. Possui outras duas sedes em Nova Delhi, na Índia, e em Cape Town, na África do Sul.

O CNR é a maior instituição pública de pesquisa da Itália, com cerca de 8.400 pesquisadores e funcionários administrativos. Congrega mais de 100 institutos de pesquisa, divididos em sete departamentos: ciências biomédicas; ciência dos sistemas terrestres e tecnologias ambientais; física e tecnologia da matéria; biologia, agricultura e ciência dos alimentos; engenharia, TIC e tecnologias para energia e transporte; ciências sociais e humanidades e patrimônio cultural.

Parceira estratégica

O reitor da USP também esteve na Universidade de Roma La Sapienza, ocasião em que foram discutidos a implementação de programas de mobilidade acadêmica e o lançamento de um edital conjunto para grupos de pesquisa.

Docentes da instituição italiana que já desenvolvem trabalhos com pesquisadores da USP e representantes da área de Relações internacionais da Universidade participaram do encontro.

A Universidade de Roma, fundada em 1303, é a mais antiga das universidades estaduais da região e uma das parceiras estratégicas da USP no Programa Institucional de Internacionalização (Print), criado pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A Universidade de Roma é uma das parceiras estratégicas da USP no Programa Institucional de Internacionalização (Print) da Capes – Foto: Divulgação

O Print visa a fomentar o desenvolvimento de planos estratégicos de internacionalização como meio de melhorar a qualidade dos cursos de pós-graduação nacionais e de conferir maior visibilidade internacional à pesquisa científica realizada no Brasil.

A partir de 2019, a Capes investirá R$ 300 milhões anuais no programa. A USP deverá receber R$ 144 milhões.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados