USP volta a figurar entre as 100 universidades com melhor reputação do mundo

A USP foi a única universidade brasileira e latino-americana a fazer parte do 2013 World Reputation Ranking, ficando na mesma posição do ano anterior, entre 61-70.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Pelo segundo ano consecutivo, a USP foi classificada entre as 100 universidades com melhor reputação de todo o mundo, de acordo com o 2013 World Reputation Ranking, elaborado pelo The Times Higher Education, em parceria com a Thomson Reuters, e divulgado hoje, dia 4 de março. A USP foi a única universidade brasileira e latino-americana a figurar nessa classificação, ficando na mesma posição do ano anterior, entre 61-70.

Esse ranking, que está em sua terceira edição, é uma vertente da classificação anual das universidades, elaborada pelo The Times, que envolve 13 critérios (como relação aluno/professor, quantidade de discentes e docentes estrangeiros, número de trabalhos científicos publicados, dinheiro aplicado em pesquisa etc.) e na qual a USP aparece em 158º lugar.

O World Reputation Ranking se baseou nos resultados de consultas realizadas junto a 16.639 acadêmicos de mais de 150 países. O ranqueamento das instituições foi elaborado tendo como principal critério a excelência na pesquisa e no ensino.

Os pontos para avaliar a reputação são referentes ao número de vezes que uma instituição foi citada pelos entrevistados como sendo a melhor em seus respectivos campos de conhecimento. Os acadêmicos consultados poderiam destacar as universidades que consideravam as mais fortes, regional e globalmente, em suas áreas específicas, dentre mais de seis mil instituições de ensino superior existentes no âmbito mundial.

Para o reitor da USP, João Grandino Rodas, “a reiteração de boas posições da Universidade nos rankings nos últimos anos significa que a USP está no caminho certo, mas, ao mesmo tempo, dá a ela a responsabilidade de continuidade dos projetos atualmente desenvolvidos, para que tais resultados sejam mantidos e melhorados. Tais classificações são de máxima importância, pois as universidades, em sua maioria, estão despertas para a necessidade da melhora dos índices e estão trabalhando diuturnamente para isso”.

Para mais informações, acesse o site do ranking.

(Foto: Cecília Bastos)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados