USP segue como a melhor universidade brasileira do Brics

Ocupando a 13ª posição, a USP continua sendo a universidade latino-americana mais bem colocada no Brics & Emerging Economies Rankings 2017, divulgado no dia 30 de novembro, pela Times Higher Education (THE).

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Na 13ª posição, a USP continua sendo a universidade brasileira mais bem colocada no Brics & Emerging Economies Rankings 2017, divulgado, no dia 30 de novembro, pela consultoria britânica de educação superior Times Higher Education (THE). O ranking classifica as 300 melhores universidades dos cinco países que compõem o Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – e de países emergentes como Taiwan, Turquia, Colômbia, Chile e México.

As universidades chinesas dominaram o ranking, com seis instituições entre as dez melhores. As primeiras posições ficaram com a Beijing University (1ª colocada), Tsinghua University (2ª) e Lomonosov Moscow State University (3ª).

Ao todo, 25 universidades brasileiras entraram na classificação. As mais bem colocadas foram a USP, em 13º lugar; a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em 28º; a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em 55º; a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em 89º; e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 117º.

O Brics & Emerging Economies Ranking utiliza os mesmos 13 indicadores de desempenho da classificação mundial do THE, porém adaptados para refletir as características e as prioridades de desenvolvimento das universidades dos países do bloco. Os indicadores são agrupados em cinco categorias — ambiente de ensino, inovação, internacionalização, pesquisa (volume, investimento e reputação) e citações (influência da pesquisa).

Liderança na América Latina

O Brics & Emerging Economies Rankings 2017, confirma a posição de liderança da USP na América Latina. Além das universidades brasileiras, foram avaliadas instituições do México, Chile, Colômbia e Peru, e as mais bem classificadas foram: o Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey (México), na 36ª posição; a Universidad Nacional Autónoma de México – Unam (México), na 46ª; a Universidad de los Andes (Colômbia) e a Universidad Tecnica Federico Santa María (Chile), empatadas na 68ª posição; e a Pontificia Universidad Javeriana (Colômbia), na 95ª.

Em julho deste ano, pela primeira vez, a Times Higher Education também publicou um ranking focado apenas nas universidades latino-americanas. Nesta classificação inaugural, a USP ocupou a posição de liderança, seguida pela Unicamp, em segundo lugar, e pela Pontificia Universidad Católica de Chile, em terceiro.

No THE World Reputation Ranking 2016, divulgado em maio, a Universidade é a única instituição latino-americana classificada entre as 100 universidades com melhor reputação acadêmica do mundo. Já no ranking geral do THE, divulgado em setembro, a USP ocupa a posição no grupo 251-300.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados