USP inaugura Parque de Inovação e Tecnologia no campus de Ribeirão Preto

A cerimônia de inauguração aconteceu no dia 26 de março e marcou a conclusão da primeira fase do projeto. Os prédios inaugurados abrigam a Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, o Centro de Desenvolvimento e Inovação Aplicada (Cedina) e o Centro de Negócios.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A cerimônia de inauguração aconteceu no dia 26 de março e marcou a conclusão da primeira fase do projeto. Os prédios inaugurados já estão em funcionamento e abrigam a Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, o Centro de Desenvolvimento e Inovação Aplicada (Cedina) e o Centro de Negócios.

“A USP tem várias missões e uma das mais importantes é a sua integração à sociedade. Temos a questão da inclusão social na Universidade, a inclusão da Universidade na sociedade, o desenvolvimento tecnológico e a transferência desse conhecimento. A participação da USP no processo de inovação do setor produtivo é um elemento central nos dias de hoje”, afirmou o reitor Marco Antonio Zago, na cerimônia de inauguração do Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto.

Em funcionamento desde 2003, a Supera Incubadora atua, no momento, em 32 empresas, sendo nove em pré-residência, 20 em residência e três associadas

Instalado no campus da USP de Ribeirão Preto, o novo polo deve incentivar pesquisas e a criação de novas tecnologias, aproximando os setores industrial e empresarial com a Universidade.

Até agora, foram investidos aproximadamente R$ 15 milhões no empreendimento: R$ 6 milhões do Governo estadual – por meio de sua Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Inovação; R$ 6 milhões da Universidade; R$ 2,5 de recursos da prefeitura de Ribeirão Preto; e quase R$ 1 milhão da Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde (Fipase), gestora do Parque.

Na cerimônia também foi assinado um convênio entre a Secretaria e a Fipase, destinando R$ 1,6 milhão para a aquisição de equipamentos que serão instalados no Centro de Desenvolvimento e Inovação Aplicada (Cedina). “Com essas duas iniciativas – a inauguração do Parque e a liberação dos recursos para equipar os laboratórios do Cedina, que certificarão os equipamentos médicos e hospitalares produzidos pelas indústrias de Ribeirão Preto –, o Governo colabora para a consolidação do parque. Assim, sem dúvida alguma, esse parque tecnológico já nasce grande, do tamanho da cidade de Ribeirão Preto, do tamanho do Estado de São Paulo”, declarou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e inovação, Rodrigo Garcia.

O parque deve incentivar pesquisas e a criação de novas tecnologias, aproximando os setores industrial e empresarial com a Universidade

Segundo o governador Geraldo Alckmin, “existem dias que mudam a trajetória de uma cidade. Um desses dias foi quando a USP veio para Ribeirão Preto. Hoje, estamos dando outro passo importante que é na inovação, na pesquisa e no desenvolvimento. O que separa as nações desenvolvidas das outras é exatamente o conhecimento e a inovação tecnológica. Em São Paulo, temos 28 parques tecnológicos – 14 já consolidados e 14 em implantação – mas acredito que este de Ribeirão Preto vai ser um dos melhores porque a presença da USP fará toda a diferença”.

A cerimônia também contou com a presença da prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, e de diversos políticos e dirigentes da Universidade, como o pró-reitor de Pesquisa, José Eduardo Krieger, o superintendente do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Marcos Felipe Silva de Sá, e o diretor da Faculdade de Medicina de Ribeirão, Carlos Gilberto Carlotti Júnior.

Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto

Resultado de uma parceria entre a USP, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, a Prefeitura de Ribeirão Preto e a Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde (Fipase), o Supera Parque de Inovação e Tecnologia surgiu com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento científico e tecnológico da região.

O Parque deve atrair novas empresas que desenvolvem pesquisa e investem em produtos e processos inovadores, principalmente, nas áreas do Complexo Industrial da Saúde, biotecnologia, tecnologia da informação e bioenergia.

O projeto completo ocupará uma área total de 300 mil metros quadrados, no campus da USP de Ribeirão Preto, e ainda prevê a instalação da Supera Aceleradora, do Núcleo Administrativo e da urbanização dos lotes para instalação de empresas, além de laboratórios de serviços tecnológicos, empresas inovadoras e centro de formação de mão de obra.

(Fotos: João Neves)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados