USP e Santander renovam acordo de colaboração acadêmica

Até 2018, estão previstos investimentos totais da ordem de R$ 30 milhões, que vão abarcar projetos que contemplam as áreas de graduação, pós-graduação, cultura e extensão universitária, como bolsas de iniciação e pré-iniciação científica, ensino de idiomas, programas de mobilidade estudantil, as atividades da Cátedra José Bonifácio, vinculada ao Centro Ibero-Americano (Ciba), entre outros.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
O reitor Marco Antonio Zago e a presidente do Grupo Santander, Ana Botin, na cerimônia de assinatura do convênio

No dia 26 de novembro, a USP e o Grupo Santander assinaram um convênio de colaboração acadêmica que visa a continuidade das ações desenvolvidas entre as duas Instituições pelos próximos quatro anos.

Conforme estabelecido no convênio, até 2018, estão previstos investimentos totais da ordem de R$ 30 milhões, que vão abarcar projetos nas áreas de graduação, pós-graduação, cultura e extensão universitária, como o oferecimento de bolsas de iniciação e pré-iniciação científica, ensino de idiomas, programas de mobilidade estudantil, atividades da Cátedra José Bonifácio, entre outros.

Na cerimônia de assinatura do acordo, estavam presentes a presidente mundial do Santander, Ana Patricia Botin, e o reitor Marco Antonio Zago, além de representantes da Universidade e do banco.

Na segunda parte do evento, foi promovido um encontro dos dois dirigentes com alunos e professores da USP contemplados no Programa Santander Universidades. Durante sua intervenção, o reitor ressaltou a relevância da parceria que, entre 2001 e 2014, ofereceu 17 mil bolsas para estudantes e pesquisadores da Universidade.

Ana Botin, por sua vez, falou sobre a revolução digital pela qual a sociedade vêm passando e a importância da contribuição da Universidade nesse processo. “O futuro será o da colaboração e do trabalho em rede”, destacou.

Modelagem de Vestuário

Uma das apresentações feitas no encontro foi a do professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH),  Luciano Vieira de Araújo, vencedor do Prêmio Santander de Ciência e Inovação, na categoria Indústria. Araújo falou sobre o projeto “Automatização do Processo de Modelagem de Vestuário para Criação de Peças Personalizadas”, coordenado  por ele e pela professora Isabel Cristina Italiano, respectivamente dos cursos de Sistemas de Informação e Têxtil e Moda, com a participação do aluno Daniel Freire Tsuha.

O projeto consistiu no desenvolvimento do sistema ePMG, que reduz tempo e custos na confecção de roupas personalizadas e na modelagem de peças individuais e de medidas específicas. “Este prêmio é importante pela visibilidade que nos dá de divulgar projetos inovadores, sendo uma valorização do nosso trabalho”, avaliou Araújo.

Nélida Piñon

O diretor do Instituto de Relações Internacionais (IRI), Pedro Bohomoletz de Abreu Dallari, falou sobre as atividades desenvolvidas na Cátedra José Bonifácio. Criada em 2013, a Cátedra é coordenada pelo Centro Ibero-americano (Ciba), vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa, e tem o objetivo de gerar e disseminar o conhecimento sobre a Ibero-América, apoiando diversas pesquisas realizadas na Universidade.

Anualmente, uma personalidade da região assume a titularidade da Cátedra, com a missão de orientar os estudos desenvolvidos e participar das atividades do grupo. Em 2013, o titular da Cátedra foi o ex-presidente do Chile, Ricardo Lagos. Este ano, o secretário geral da Secretaria Geral Ibero-americana, Enrique Iglesias, está à frente das atividades.

Dallari aproveitou a ocasião para anunciar que, a partir de março de 2015, a titular da Cátedra será a escritora Nélida Piñon, que conduzirá estudos sobre a identidade cultural ibero-americana.

(Foto: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados